Mapa Meu - Travel Experiences Lda
+351 917 434 117

5 razões para visitar o Uzbequistão

Landescape - 5 razões para visitar o Uzbequistão

Descobre 5 razões para visitar o Uzbequistão, e deixa-te deslumbrar por este país!

1 | História

Viajar no Uzbequistão parece-me uma razão óbvia! Nesta região que viu nascer um dos maiores guerreiros de todos os tempos – Genghis Khan – que foi atravessado por comerciantes e discutido por filósofos, onde nasceu a religião monoteísta mais antiga do mundo, cujos caminhos associamos a caravançarais é, por si só, justificação mais que sólida para se visitar a Ásia Central! É partir para um lugar distante carregado de mitos e de lendas, onde cada etapa é um deslumbre de cores e padrões. Cúpulas de arabescos azuis, mesquitas de mosaicos verdes, mulheres de túnicas garridas, tapetes…

2 | O caminho das grandes Rotas

Caravanas carregadas de mirra e seda percorriam as estepes devoradas pelo sal, os seus desertos, os seus oásis. Convido-te a viveres o coração da Ásia Central, a provar as chamuças com carne picada e cebola, saídas de fornos a lenha. Um lugar de magia e mistério para todos os viajantes que se aventuram e seguem as marcas deixadas pelas caravanas. Bucara, cidade de centenas de mesquitas, Samarcanda e os seus telhados azuis e impressionantes mausoléus. Khiva, onde as caravanas paravam para água fresca antes de enfrentarem o deserto, local onde várias rotas se cruzavam: a das especiarias, a da seda, a dos escravos. Essas cidades com ruas estreitas e mercados perfumados de especiarias que fizeram sonhar Marco Polo…

Landescape - Khiva

Khiva

3 | Mar Aral

Houve uma época em que nas margens do Mar de Aral, bastava caminhar um pouco para “perdermos o pé” e nadar. Entre o Uzbequistão e o Cazaquistão, este antigo lago de água salgada era o quarto maior do planeta. Os primeiros efeitos do desvio de rios para irrigar gigantescos campos de algodão começaram a ser sentidos nos anos 90. Em apenas 50 anos, este mar perdeu 75% de sua água e a mesma onde antes se podia mergulhar caminhando pouco, está agora a 170 quilómetros de distância, tendo deixado para trás, encalhados na memória, embarcações que outrora navegavam no Aral. É verdadeiramente a visão do fim do mundo… Apesar dos esforços feitos a partir de 2005 para trazer o Mar Aral à vida, ainda há muito a fazer. Os peixes voltam aos poucos e do lado do Cazaquistão, algumas embarcações já circulam. Acreditar está ao alcance de todos mas aqui, é mesmo preciso acreditar em milagres!

4 | Ikats

Estes mantos de algodão tingidos com grandes padrões de cores brilhantes, foram usados ​​para fazer roupas de trabalho ou cerimoniais. Estas mantas, cortinas e colchas feitas de grandes manchas amarelas, vermelhas ou verdes, são encontradas nos mercados, e não são raras as vezes em que vemos camponeses vestidos com túnicas coloridas não só nas zonas mais tradicionais do país, mas também nas maiores cidades do Uzbequistão. O Tak-i-Sarrafan, o mercado de Bucara, é uma mina de achados para caçadores de pequenas relíquias, antiguidades e tapetes. Ou então o mercado de Nukus, onde se pode observar os mais belos rostos com feições mongóis.

Landescape - Ikat

Ikat

5 | Igor Stavitsky

A poucos quilómetros de Nukus, no final de um longo deserto de sal no coração do Uzbequistão, fica um museu que, contado, ninguém acredita! Imaginem um colecionador e artista inspirado de nome Igor Stavitsky, que morreu em 1984, e que passou a sua vida dedicado a duas causas. A primeira, salvar milhares de obras que teriam sido destruídas às mãos de Staline, juntando teimosamente milhares de quadros (sendo que os seus autores cediam as obras antes de serem enviados para os gulags ou de conseguirem fugir do país). Esse conjunto forma a mais impressionante colecção de vanguarda russa depois do museu de São Petersburgo, na Rússia. Uma explosão de cores e vitalidade, escondida no coração de uma antiga cidade russa cujas avenidas são gradualmente massacradas pelo deserto. Um tesouro – talvez a palavra seja até redutora de mais – que o museu Hermitage sonha em juntar à sua vasta colecção. Um tesouro que resiste no meio do nada, visitado apenas por alguns. A segunda causa de Stavitsky, a da preservação da cultura do povo desta região autónoma do Uzbequistão, o Caracalpaquistão.

Landescape - Uzbequistão

 

Artigo assinado pelo mentor e líder de viagens Landescape Rafael Polónia