Landescape - Agência de Viagens
+351 917 434 117

Transiberiano

Detalhes da Viagem

  • Rússia
  • Cultural
  • 30 Set, 2017 - 17 Out, 2017
  • 18 dias / 17 noites
  • 2000€ / pessoa
  • 5 - 12 pessoas
  • + 18
Google+LinkedIn

Destaques

Conhece a cultura russa viajando nos carris do clássico Transiberiano!

Explora o lago Baikal, que possui 30% da água doce do mundo e viaja até Olkon, a maior ilha do lago!

Atravessa 8 fusos horários, numa só viagem, entre Moscovo e Vladivostok!

Deixa-te encantar pela beleza das estações de metro de Moscovo, autênticas catedrais de arte!

A Experiência

Viaja na mais icónica linha férrea do Mundo: a linha do Transiberiano! Esta viagem vai-te levar por quase 10000 quilómetros, oito fusos horários e muitos anos de história. Navega no maior lago de água doce à face da terra, vagueia pela imensa metrópole moscovita e desfruta a paisagem pela janela de um dos mais míticos comboios existentes, até ao extremo oriente, em Vladivostok. Esta, é uma oportunidade única de viajar no tempo, na cultura e na história do maior país do mundo!

Itinerário

1
Dia 1 | Origem - Moscovo
Hoje o teu dia é reservado à viagem entre o país de onde partes e a chegada à Rússia. Aproveita para fazeres o check-in no hotel e caminhares um pouco pelos arredores do hotel ou, se preferires, descansares do voo. Apesar dos mais de 20 milhões de habitantes, e 40 quilómetros de diâmetro, Moscovo não é uma área urbana muito enclausurada, antes pelo contrário: com ruas largas e bastantes áreas arborizadas, os passeios pela grande cidade são muito agradáveis.

A hora a definir posteriormente, faremos um pequeno briefing sobre a viagem e escolhemos um restaurante para jantar!
Hotel
2
Dia 2 | Moscovo
Hoje visitamos os maiores ícones Russos em Moscovo: a Praça Vermelha, que alberga os mais famosos monumentos históricos da cidade e onde fica localizado o km 0. Todas as distâncias e fusos horários na Rússia são contados a partir desta praça. Daqui visitamos o Kremlin, casa do actual Presidente da Rússia e antiga cidadela; a icónica Catedral de São Basilio - o habitual “postal” da cidade, com as suas cúpulas policromáticas; o mausoléu de Lenin; vemos o render da guarda junto ao Túmulo do Soldado Desconhecido e ainda o grandioso centro comercial GUM, onde podemos almoçar na pausa entre as muitas visitas do dia.
Hotel
3
Dia 3 | Moscovo - direcção Yekaterinburg
Hoje fazemos check-out no hotel mas, durante o dia, temos ainda tempo para visitar a Catedral do Cristo Redentor e passear pelo Parque Gorky.
A Catedral é conhecida pelas suas cinco magníficas cúpulas douradas que contrastam com as paredes brancas e é - a par com a Catedral de São Basílio - a maior catedral ortodoxa de Moscovo. Depois de visitar a Catedral vamos passear pelo maior parque da cidade, o parque Gorky, onde podemos observar de perto o quotidiano de lazer russo. Jantamos ali perto e vamos ao supermercado antes de seguirmos para a estação de comboio Yaroslavskaya. É recomendável que comprem comida que gostem (pequenos snacks e bebidas) para a viagem. Apesar de haver uma carruagem-restaurante, e bastantes vendedores de comida nas plataformas sempre que pararmos no comboio, a viagem é longa, e podem sempre ter fome fora de horas ou simplesmente não encontrar nada que vos satisfaça.

Da estação de Yaroslavskaya, partimos no comboio das 23h05 para Yekaterinburg. Os comboios na Rússia são extremamente pontuais, por isso estaremos na estação algum tempo antes para tratar das formalidades necessárias antes do embarque.

Já a bordo, seremos indicados às nossas kupes: compartimentos privados de quatro camas cada. Será entregue a cada um um kit básico de higiene (escova e pasta de dentes, toalha e chinelos), bem como roupa de cama lavada (nota: não há duches a bordo dos comboios, mas cada carruagem tem uma casa-de-banho em cada extremidade, com lavatório e água corrente).

Parte agora a nossa grande aventura que nos vai levar ao outro lado da Rússia!
Comboio
4
Dia 4 | direcção Yekaterinburg
O dia é passado no comboio, mas temos breves paragens em Yaroslavl e Danilov, assim como ao km 1192 (Bazentino), onde o comboio faz uma pequena paragem de cerca de 20 minutos para trocar de locomotiva. Nestas paragens podemos sair para apanhar ar, esticar as pernas e comprar algo dos vendedores ambulantes que vendem comida, bebida, entre outras coisas, nas plataformas. Os fumadores podem aproveitar estas paragens para o fazer.

Durante o trajecto, porque não aproveitar para ler um livro (vejam a literatura recomendada no vosso manual do viajante) e conhecer melhor as pessoas que te acompanham, os locais ou outros viajantes, na carruagem-restaurante? Esta é a maravilha do transiberiano: admirar a paisagem russa transformar-se através das janelas, observar a vida a bordo do comboio, onde os passageiros (maioritariamente russos) transformam os seus espaços em verdadeiras casas longe de casa. Quem preferir desfrutar do compartimento privado, também podem comprar comida, café e chá directamente à provodnitsa da vossa carruagem. As provodnitsas são as funcionárias (geralmente mulheres) responsáveis pelo bom funcionamento das carruagens. Limpam e organizam os compartimentos, além de garantirem o bem estar de todos os passageiros. Estão disponíveis 24 horas por dia.
comboio
5
Dia 5 | Yekaterinburg
Chegamos a Yekaterinburg, a primeira cidade da Rússia asiática neste percurso, às 05h39. Já percorremos 1814 quilómetros! Yekaterinburg é a capital cultural e económica dos Montes Urais, a cordilheira que separa a Europa da Ásia, e que se estendem até ao Paquistão. Como chegamos cedo, vamos deixar as nossas malas ao hotel, e vamos tomar o pequeno-almoço num local à escolha.

De seguida, vamos até ao Memorial Romanov, local onde o Czar Nicholas II e a família foram assassinados pelos Bolsheviks. Aqui encontramos uma pequena capela de madeira e a imponente Igreja do Sangue Derramado.

Almoçamos num local perto, à escolha, antes de seguirmos para o Quarteirão da Liberdade (Liberty Quarter), onde podemos admirar a arquitectura local e visitar alguns sítios e museus.
Hotel
6
Dia 6 | Yekaterinburg - direcção Novosibirsk
Hoje é dia de embarcar de novo a bordo do Transiberiano, mas antes ainda temos o dia para conhecer melhor Yekaterinburg. Depois do pequeno-almoço vamos até ao Museu dos Comboios, na antiga estação, que documenta acima de tudo a construção da linha transiberiana na zona dos Montes Urais.

A tarde é livre, para fazermos mais compras (caso necessário) para levar a bordo de mais uma noite no comboio, ou simplesmente para descansar e nos despedirmos desta zona da Rússia.
Às 18h41 apanhamos o comboio rumo a Novosibirsk.

A noite é passada no comboio. Se estiverem com atenção aos quilómetros, celebrem o km 2102: aqui começa oficialmente a Sibéria!
Comboio
7
Dia 7 | Novosibirsk
Ao km 2497 os ponteiros do relógio avançam mais uma hora, apesar dos horários dos comboios serem sempre na hora de Moscovo o que transforma esta experiência numa das mais peculiares curiosidades de viajar no transiberiano, uma autêntica viagem no tempo! Chegamos a Novosibirsk às 18h03 (hora local). Novosibirsk é a terceira maior cidade russa e é, também, a capital não oficial da Sibéria.

A própria estação de comboios é um autêntico templo do transiberiano: majestosa, em tons luz pastel, com grandes candelabros e intrínsecos pormenores a branco e dourado, que não deixam ninguém indiferente.

Fazemos check-in no nosso hotel e jantamos num restaurante à escolha ali perto, enquanto admiramos a vida nocturna da cidade.
Hotel
8
Dia 8 | Novosibirsk - direcção Irkutsk
Acordamos cedo para visitar dois museus: o Museu Estatal de Artes, um ícone em Novosibirsk, e o Museu da União Soviética. O Museu Estatal de Artes é um edifício lindíssimo, que alberga uma enorme colecção de pintura, com destaque para as pinturas sobre os Himalaias, de Nikolai Rerikh. Já o Museu da União Soviética é uma surpresa: para quem espera um ambiente calmo típico de um museu, preparem-se: aqui vestimo-nos a rigor, e tiramos inúmeras fotos bem humoradas, que nos trarão das melhores memórias do nosso trajecto transiberiano!

Após o cair da noite, voltamos aos preparativos de bordo, pois temos um novo comboio para apanhar às 21h46, desta vez com destino a a Irkutsk.

Serão mais duas noites passadas no comboio, por isso recomenda-se que tragam snacks e aperitivos, bebidas e produtos de higiene.
Comboio
9
Dia 9 | direcção Irkutsk
À passagem de Krasnoyarsk (que habitualmente faz uma paragem de 20 minutos) podemos dar um salto à praça da estação para ver o mural em mosaicos vermelhos, de tema comunista. Atenção para não haverem atrasos, os combóios russos são super pontuais, e se for necessário avançam sem esperar pelos passageiros perdidos! Logo a seguir o comboio passa pela ponte do rio Yenisey. A ponte de 1 quilómetro de comprimento, que ganhou a medalha de ouro na Expo Paris 1900, juntamente com a Torre Eiffel, separa oficialmente as zonas da Sibéria Ocidental da Oriental.

Na paragem em Ilansky, e caso o horário o permita, a provodnista deixa-nos sair para visitar o pequeno museu da estação. Atenção, que aqui, as fotografias não são permitidas (não sabemos porquê!).

Já de volta a bordo, ao km 4474, o relógio avança mais uma hora: já estamos no fuso horário de Irkutsk!
Comboio
10
Dia 10 | Irkutsk
A chegada a Irkutsk é notável: antes do comboio chegar à estação, cruzamos os 3 quilómetros do rio Irkut, podendo observar de longe a cidade que outrora era conhecida como a “Paris da Sibéria”. Chegamos precisamente às 07h47, hora local.

Fazemos o check-in no hotel, tomamos o pequeno-almoço e tomamos o tão merecido duche, depois das mais de 31horas que passamos no comboio. Depois de almoço aproveitamos o dia fora de comboios e espaços fechados, para passear à beira-rio. Vamos até ao 130 Kvartal, o bairro com arquitectura típica Sibéria: casas de madeira com janelas talhadas coloridas. Jantamos por ali antes de voltarmos para o hotel e descansar.
Hotel
11
Dia 11 | Irkutsk - Ilha Olkhon
Hoje por volta das 7 da manhã, o nosso transporte vem buscar-nos para seguirmos rumo à ilha Olkon a maior ilha do lago Baikal. Aqui ficamos hospedados em alojamento local, na localidade de Khuzhir. Durante a viagem podemos admirar na paisagem a presença do Xamanismo, uma das mais importantes práticas religiosas deste lado do lago: esculturas a decorações que homenageiam a vida selvagem e a natureza, fitas coloridas e costumes típicos. Podemos ainda observar alguns cavalos selvagens, ou até abutres, abundes nesta região.

Quando chegamos ao lago Baikal fazemos a travessia até à ilha Olkon no ferry. Nos meses mais frios do Inverno, esta travessia é feita de carro, pois o lago congela completamente e é possível fazer a travessia sem recorrer a barcos. À chegada a ilha é costume vermos imensas vacas banharem-se nas águas doces do lago. Seguimos rumo à nossa acomodação por caminhos mais aventurosos dos que os que estamos habituados até agora.

Depois de fazermos check-in no alojamento local, temos o resto do dia livre: porque não aproveitar para ver o incrível pôr-do-sol do cabo Burkhan, junto à rocha Xamã, uma das vistas mais icónicas do lado Baikal?
Alojamento local
12
Dia 12 | Ilha Olkhon
Hoje vamos explorar a ilha. Uma carrinha 4x4 vem buscar-nos ao alojamento e leva-nos até à parte mais a norte da ilha. Esta zona é uma reserva natural protegida, e aqui vamos poder parar em vários sítios com vistas absolutamente incríveis, fazer trekking ou simplesmente meditar.
Enquanto exploramos a ilha, um dos locais prepara-nos almoço com peixe do lago Baikal e chá típico da região, que podemos tomar numa pausa à sombra, entre caminhadas.

Ao final da tarde regressaremos ao alojamento. Se já viram o pôr-do-sol ontem, a sugestão de hoje é que tenham coragem para mergulhar no lago Baikal - dizem que se ganha cinco anos de vida a quem o faz. Não temam as águas gélidas deste mar siberiano, pois há várias saunas à beira-mar para onde podem entrar logo a seguir ao vosso mergulho gélido.

Afinal, este é o espírito Landescape!
Alojamento local
13
Dia 13 | Olkhon - Irkutsk
De manhã cedo e depois de um pequeno-almoço reforçado preparamo-nos para deixar para trás a ilha Olkon e regressar a Irkutsk. Sem atrasos, voltamos ainda a tempo de visitar o Museu Regional, onde podemos saber mais sobre a cultura da Sibéria, bem como admirar os costumes locais, através da colecção de objectos e fotografias deste museu, alojado num edifício de 1880.

Jantamos num restaurante à escolha e voltamos ao hotel para descansar, tomar um bom banho e restaurar energias: amanhã temos um comboio para apanhar bem cedo, e será a nossa maior viagem: mais de 69 horas a bordo, na viagem de comboio mais clássica de todas!
Comboio
14
Dia 14, 15 e 16 | direcção Vladivostok
Partida para Vladivostok, a última viagem de comboio desta aventura e também a mais bonita. Deslumbra-te com as paisagens mais icónicas deste trajecto, quando o gigante transiberiano circunda o lago Baikal. O nosso comboio parte bem cedo, às 7h47 (hora local). Preparem-se, pois entre os kms 5352 e 5641 temos a mais espectacular vista de toda a viagem do lado esquerdo, quando o circundamos o lago Baikal no extremo mais a sul. A linha quase que roça as águas do lago e a curta distância quase que nos convida a um mergulho. A curva, apertada, permite que de uma das extremidades do comboio se veja a extremidade oposta, colocando-se assim a jeito para aquelas que podem ser as fotografias mais icónicas desta viagem!

Ao km 5771 os ponteiros do relógio avançam novamente: estamos agora seis horas à frente de Moscovo.

O comboio faz novamente uma paragem, desta vez na estação de Petrovsky-Zavod, e aqui podemos ver mais um pequeno museu e um bonito mural sem ter que sair da estação. Lembrem-se de respeitar os tempos dos comboios (e lembrem-se também que os horários dos comboios estão no fuso horário de Moscovo!).

De volta ao comboio, mais à frente, podemos observar a paisagem esculpir-se à distância, e as janelas tornam-se autênticos quadros vivos: entramos no vale Khilok, com as montanhas a vislumbrarem ao fundo.

Ao km 6130 chegamos ao pico mais alto desta viagem: 1040 metros de altitude, quando a linha se esgueira entre o maciço das montanhas. Temos mais paragens ao longo destes dias, que nos permitem saltar do comboio e ver atrações perto da estação ou na própria estação:

- em Khilok podemos admirar a decoração art-deco da estação;
- 25 minutos em Chita;
- 18 minutos em Karymskaya, chegam perfeitamente para espreitar a igreja ortodoxa do outro lado da rua da estação;
- Chernyshevsk-Zabaikalsky dão tempo de re-abastecer nos snacks, esticar as pernas ou fumar um cigarro;
- Mogocha também tem pausa, mas não se aventurem em pleno Inverno, pois as temperaturas aqui chegam aos -62ºC!;
- os 18 minutos de paragem em Amazar devem ser suficientes para verem o “cemitério de locomotivas” ali perto;
- cerca de 20 minutos em Magdagachi, que bem geridos são suficientes para irem aos correios do outro lado da estrada enviar um postal e fotografar a estátua de Lenin três ruas abaixo;
- 15 minutos em Obluche, onde acertamos os relógios: são agora mais sete horas que em Moscovo. Acabámos de passar o maior túnel da viagem (2 quilómetros), e temos tempo até de admirar a estação em Art Deco, antes de voltar ao comboio, e entrar noutro túnel.
- uma rápida paragem em Birobidzhan, capital da região autónoma judaica, permitem-nos ver as inscrições hebraicas da estação;
- 30 minutos em Khabarovsk, dão para ir fotografar a escultura em frente da estação;
- 15 minutos em Vyazemskaya, para comprar os últimos snacks e aperitivos dos vendedores ambulantes;
Comboio
15
Dia 17 | Vladivostok
Chegada a Vladivostok, a “São Francisco da Rússia”, às 6h55, hora local. Parabéns, acabaste de completar a mais longa viagem de comboio do mundo!

Sair do comboio é uma sensação estranha, é o final da linha, estás sete horas à frente de Moscovo, e muitos dias de transporte. Tens o Pacífico à tua frente, e toda uma nova cidade e cultura para explorar!

Fazemos check-in no hotel, tomamos o tão merecido duche, vestimos roupas frescas e saímos para explorar a cidade. Fazemos uma pequena viagem no funicular que nos leva até às estátuas dos santos Cyril e Methodius, criadores do alfabeto cirílico. Depois visitamos ainda o Museu Regional de Arsenev, um dos mais espectaculares museus da cidade. Localizado num edificio de 1890, alberga uma exposição que se distribui por mais de três pisos, com diversas pinturas e histórias locais.

Aproveitamos o resto do dia para descansar e passear pela cidade.
Hotel
16
Dia 18 | Vladivostok - Origem
Hoje despedimo-nos de mais uma viagem incrível. Tomamos o pequeno-almoço do hotel antes de nos separarmos. Foi um prazer ter-vos a bordo do transiberiano, e desta inesquecível viagem pela Rússia!

Vemo-nos na próxima aventura da Landescape!

O que está incluído?

  • Alojamento | 7 noites em hotel + 2 alojamento local + 8 noites em comboio
  • Todas os trajectos de comboio
  • Transportes dentro do país (excepto de cariz pessoal e transfers)
  • Entradas nos seguintes locais:
  • . Kremlin
  • . Catedral de São Basílio
  • . Museu dos Comboios (Yekaterinburg)
  • . Museu Estatal de Artes (Novosibirsk)
  • . Museu da USSR
  • . Museu Regional de Arsenev
  • . Tour Baikal
  • . Acompanhamento da líder nos 18 dias

O que não está incluído?

  • Voos internacionais (a partir de 300€)
  • Visto da Rússia (+- 40€)
  • Actividades/Entradas não assinaladas no item Incluído
  • Alimentação não especificada
  • Despesas pessoais
  • Transfers de/para o aeroporto
  • Seguro pessoal de viagem

Marcação

Início Fim Estado Preço
Data Sábado 30 Set, 2017 Terça-feira 17 Out, 2017 Vagas 12 Preço 2000€ Agendar

O Líder

Tânia Neves

Nasceu em Lisboa e viveu em Bristol e Amesterdão. Adora pôr a mochila às costas e partir ao desconhecido e, quando não está a viajar, é a contar histórias e a partilhar experiências que se sente feliz.
Mais informação sobre o líder