Mapa Meu - Travel Experiences Lda
+351 917 434 117

O que fazer em caso de desastre natural na tua viagem?

© Yosh Ginsu | Mount Sinabung, Indonésia

Viajar faz parte do imaginário de todos nós!

Se alguns se inclinam mais para viagens por países exóticos, outros preferem a comodidade do nosso velho continente; por outro lado há quem privilegia a aventura de subir uma montanha ou conduzir uma scooter pelo Sudeste Asiático, enquanto outros valorizam mais a experiência cultural e gastronómica que o país tem para oferecer. Curtas ou longas, mais ou menos distantes da nossa realidade, a verdade é que quando equacionamos viajar raramente nos lembramos dos problemas que podem surgir e, por consequência, quando somos confrontados com eles entramos em pânico.

Claro que ninguém viaja à espera de ver as suas férias interrompidas por uma catástrofe natural, mas muitas regiões do nosso planeta são regularmente fustigadas com tremores de terra, erupções vulcânicas, monções, tsunamis, tufões, e é conveniente sabermos como proceder nesses casos.

Se chegaste até ao nosso blogue então é porque este tema te é sensível, seja porque já viveste um episódio semelhante e sobreviveste – e nesse caso desde já te convidamos a partilhares connosco esse testemunho nos comentários – ou porque planeias viajar para um país que tem esse risco e na oferta de viagens da Landescape temos uns quantos destinos sinalizados como é o caso da Guatemala, Filipinas ou Islândia. Esperamos portanto que no final deste artigo te sintas mais esclarecido(a) e, acima de tudo, mais confortável a embarcar na aventura sem receio!

Se ainda vais viajar

Se o país para onde tencionas viajar está sinalizado como região de risco no que toca a desastres naturais, aconselhamos-te a tomares algumas precauções antes de avançares com a compra dos voos e restante planeamento, de forma a evitares problemas maiores no futuro.

Tomemos por exemplo a Islândia, que em 2010 devido à erupção do vulcão Eyjafjallajokull teve de encerrar o espaço aéreo temporariamente, obrigando ao cancelamento de mais de 100.000 voos, o que afectou perto de 8 milhões de passageiros. Claro que não é possível adivinhar que o vulcão fosse entrar em erupção, mas é certo e sabido que a Islândia tem vulcões activos, portanto no momento de escolher este destino ou outros igualmente propensos, há algumas recomendações que podes ter em atenção.

  • Começares por perceber qual a época do ano mais favorável à visita de forma a evitar períodos com eventos climáticos extremos. Essa informação está por norma disponível no Portal das Comunidades Portuguesas, do Ministério dos Negócios Estrangeiros, mas podes também aceder a ela através de blogues e sites de outros viajantes;
  • Teres conhecimento das condições descritas na Política de Reservas da agência com a qual vais viajar, de forma a perceber o que te asseguram em caso de desastre natural. Por exemplo, no caso da Landescape vem descrito que em caso de “alteração ou cancelamento por força maior (ou seja, circunstâncias como instabilidade política, guerra ou ameaça de guerra, tumultos, conflitos civis, encerramento de aeroportos ou portos, atividades de cariz terrorista, desastres de qualquer tipo, incêndio, epidemia ou de risco de saúde, condições climatéricas anormais ou outros eventos semelhantes fora do controlo da Landescape (Mapa Meu – Travel Experiencies, Lda.) é efectuado um reembolso total de quaisquer quantias pagas à Landescape (Mapa Meu – Travel Experiencies, Lda.), excepto despesas incorridas pela agência em relação à tua reserva.”
  • Adquirir um seguro pessoal de viagem que garanta boa cobertura no exterior. Por exemplo, com o seguro IATI Mochileiro há a cobertura de “Extensão de viagem” que cobre as despesas de alojamento resultantes da situação de catástrofe natural num limite máximo de até 500€. Por outro lado, tem uma cobertura de despesas médicas de 250.000€ e inclui, ainda, busca e salvamento. Já no caso do IATI Estrela ou IATI Estrela Premium há a cobertura “Prolongamento de estadia por catástrofe natural” que cobre as despesas do hotel até um máximo de 120€ por dia durante 10 dias (máximo de 1.000€). No caso do IATI Estrela assegura ainda cobertura de despesas médicas no valor de 350.000€ sendo que no IATI Estrela Premium esse montante sobe para 500.000€, pensado para clientes mais exigentes que viajam para destinos internacionais onde a assistência médica é bastante mais cara que o normal como os Estados Unidos da América, o Canadá, o Japão, a Austrália ou a Nova Zelândia.
  • Proceder à compra dos bilhetes de avião juntos, sem partir o itinerário. Isto é especialmente importante se estiveres a viajar com companhias aéreas diferentes até ao destino final. Assim, se por alguma razão estiveres obrigado ao cancelamento do voo, não terás custos adicionais na remarcação e ficarás ainda isento dos custos inerentes ao período de cancelamento nomeadamente com estadia, transporte e alimentação.
  • Levares contigo os contactos das Embaixadas ou Consulados Portugueses no país de destino, para poderes beneficiar de todo o apoio diplomático necessário com a maior brevidade possível. É conveniente teres ainda à mão fotocópia dos principais documentos de identificação, passagens aéreas e seguro pessoal de viagem. Podes também guardar online se te for mais fácil.

Se já te encontras em viagem

Talvez esta situação seja a mais desesperante, sobretudo se estiveres num país cuja língua nativa não domines. Mas tenta manter a calma e foca-te na solução!

Começa por perceber o real impacto do desastre natural no país, e mais concretamente na região onde te encontras, e que medidas estão a ser tomadas pelo respectivo governo para proteção da população, consultando sites noticiosos locais ou contactando diretamente a Embaixada para mais informações. Nota que com este contacto podes também agilizar a expedição de novo passaporte ou prolongar o teu visto, se necessário. Em função dessas respostas equaciona o risco de permanecer no país e apura com as autoridades se o espaço aéreo vai ser interrompido, ainda que temporariamente.

Se por acaso for difícil contactar a representação diplomática portuguesa, o que não é vulgar, procura em alternativa grupos humanitários como a Cruz Vermelha, os Médicos Sem Fronteiras, Igrejas e Associações locais que podem facilitar os processos.

Apresentam-se dois cenários possíveis: ou manténs a tua viagem até à data prevista de regresso, mesmo que seja necessário proceder a algumas alterações no plano inicial e desde que haja condições de segurança asseguradas para o efeito, ou, tens de regressar a casa o mais cedo possível e aí será fundamental manteres o diálogo com a companhia aérea a quem compraste as passagens de avião. Se já estavas prestes a regressar e este incidente pode conduzir ao cancelamento dos teus voos, dirige-te ao balcão da companhia aérea e vê que soluções te apresentam, sabendo de antemão que estão responsáveis por te garantir transferes de/ para o aeroporto, alojamento e remarcação de voos.

 

Após a viagem

Regressado(a) a casa sã e salvo(a) é hora de acionar o ressarcimento das despesas inerentes contactando a IATI Seguros ou a mediadora a quem tenhas contratado seguro pessoal de viagem, assim como a Landescape ou outra agência de viagem a quem tenhas comprado a experiência. Nunca é demais lembrar que deves guardar todas as facturas de alojamento, alimentação e saúde do período em que foste lesado pelos efeitos do desastre natural para poderes apresentar como comprovativo nesta fase.

Podes ainda solicitar ajuda a empresas como a Air Help que são especialistas em processos de reembolso aos passageiros por voos atrasados ou cancelados.

O inesperado faz também parte da aventura, mas não precisas de arriscar demasiado ou comprometer as finanças da tua próxima aventura. Tem em conta as nossas dicas e viaja em segurança com a Landescape para países como as Filipinas, a Guatemala ou a Islândia, que tantas vezes são noticiadas exatamente pelo tema dos desastres naturais.  Se alguma dúvida permanecer entra em contacto connosco.