Mapa Meu - Travel Experiences Lda
+351 917 434 117

Os desafios de fazer longas viagens em casal

Temos de começar por dizer que estamos muito contentes pela dificuldade que foi escrever este artigo! Realmente, ao discutirmos pela primeira vez os desafios de viajar a longo prazo em casal, percebemos que as vantagens superam as desvantagens de uma forma incrível.

Portanto, desculpem a lamechice, mas este artigo começou a ser escrito só depois de um forte abraço. Às vezes até é bom relembrar e falar sobre todas as coisas boas de viajar com o nosso mais que tudo, pois nem tudo é um mar de rosas!

Já tínhamos experienciado pequenas viagens de fim-de-semana, duas semanas e um mês. Mas agora faz (quase) dois anos que estamos a viajar juntos. Portanto, sabemos bem a diferença entre viajar em casal em pequenas férias e em viagens a longo prazo e, acreditem, é bastante diferente. Tudo é maravilhoso, fácil, rápido e descomplicado quando têm apenas meros dias para partilhar umas férias a explorar a fundo um sítio novo. Mas quando estão a viajar por meses (ou anos) a conversa é outra.

Numa viagem a longo prazo, o dinheiro vai acabando e a vontade de passear todos os dias também. Mas, mesmo assim, as responsabilidades não deixam de existir. Diariamente temos que pensar em como gerir o dinheiro da melhor forma. Encontrar os alojamentos mais baratos, assim como os restaurantes, supermercados e transportes. Não esquecendo os planos constantes do que visitar e do que não se pode perder em cada sítio!

Para nós, ainda é um pouco mais complicado. Porquê? Porque a isto tudo adicionamos a componente de trabalhar juntos enquanto viajamos, pois agora temos um negócio em conjunto. Para nós, este é o maior desafio, pois equivale a mais discordâncias. Para além das discussões naturais de um casal com um negócio no meio, existe também a dificuldade em separar esta relação de trabalho da relação amorosa. É muito fácil envolvermo-nos no trabalho (que se acumula quanto mais viajarmos) e esquecermo-nos de tirar momentos só para nós, como um casal de namorados. Este é, de longe, o nosso maior desafio de viajar a longo prazo em casal.

No entanto se tirarmos o negócio da equação, na nossa opinião estes são os 7 maiores desafios de longas viagens em casal:

  1. É mais difícil conhecer novas pessoas

Começamos com o maior desafio que sentimos diariamente em qualquer parte do mundo. É normal, para qualquer viajante, conhecer novas pessoas, viajantes ou locais. Este fator óbvio não se aplica tanto a quem viaja em casal. É mais complicado para nós, pois muitas vezes as pessoas assumem que, por sermos um casal, queremos estar sozinhos, sossegados. Acreditem, às vezes estamos desejosos que alguém nos interrompa e “meta conversa” connosco. Sabendo, por experiência, que normalmente isto não acontece, o melhor a fazer para superar este desafio é sermos nós a abordar as pessoas e começar uma conversa.

Agora fazemos sempre assim, e deixámos de ter este problema!

  1. Vais sentir o dobro das saudades quando têm que estar separados

Isto pode não parecer um grande desafio, mas é. Quando um casal que está a viajar junto há uns tempos (ou seja, que estão juntos 24h por dia) tem que, por alguma razão, passar alguns dias um sem o outro, a saudade que se sente da outra pessoa é exponencialmente maior! Imagine-se quando a viagem acabar… Nestes dois anos, já voltámos a Portugal e estivemos uma semana sem o outro, foi horrível!

 

  1. Quando discutem, parece que estás sozinho/a no mundo

Se estás no outro lado do mundo, longe da tua família e dos teus amigos o/a teu parceiro/a é a única coisa de familiar que tens perto de ti. Por isso, quando discutem, vais-te sentir mais sozinho/a que nunca. Para nós isto resultou em evitarmos ao máximo ter discussões e quando discutimos, rapidamente fazemos as pazes.

 

  1. Vais conhecer o/a teu parceiro a fundo (o melhor e o pior)

Viajar a longo prazo equivale a passarem 24 horas por dia juntos, todos os dias. Como se isto não bastasse para conhecer uma pessoa profundamente, vão também estar sujeitos a vários desafios e situações de stress com frequência. E, infelizmente, é nestas situações que as pessoas se revelam mais, principalmente as características menos positivas. Nós já namorávamos há 6 anos antes desta nossa grande viagem e, mesmo assim, após iniciarmos viagem conhecemos muito um sobre o outro que desconhecíamos até então. Mas também é a conhecermos melhor o outro, que melhor sabemos lidar em situações mais difíceis.

  1. Vão ter discordâncias em relação ao dinheiro

Como dissemos anteriormente, numa viagem a longo termo, muita energia é gasta a gerir o dinheiro da melhor forma e isso, por vezes, traz discussões. Discussões estas que serão uma novidade para o casal se antes de começarem a viajar não viverem juntos. Desta forma, este será mais um desafio para a relação. Diferentes pessoas têm diferentes formas de gerir o dinheiro e diferentes prioridades, por isso é preciso encontrar soluções para que esta questão não seja um problema.

Nós achamos que é importante ter sempre dinheiro de lado, guardado para o caso de uma necessidade. Por isso, recomendamos não começar nenhuma viagem sem um ‘’pé de meia’’ considerável. Antes de começarmos a trabalhar online, começámos a nossa de viagem de 8 meses pela Ásia apenas com o dinheiro que tínhamos poupado. Em 8 meses gastámos os 3.000€ que tínhamos amealhado e depois voltámos a casa até começarmos a fazer dinheiro com o TravelB4Settle.

 

  1. Vão ter que fazer sacrifícios

Por mais amor e respeito que exista numa relação, a mesma é constituída por duas pessoas e, por isso mesmo, vão sempre haver diferenças na maneira de pensar e agir, no que se gosta e no que não se gosta, etc. Estas diferenças vão exigir uma boa comunicação, mas também algum sacrifício.

Para além dos estilos de viagens que cada um mais gosta poderem ser diferentes, quando se viaja a longo prazo também temos que considerar as diferenças nas rotinas diárias de cada um. Para a saúde do casal e de cada um individualmente, é muito importante que nenhum deixe de fazer o que gosta e para isso é necessário bom senso.

No nosso caso, o Miguel adora adrenalina e praticar desportos enquanto a Matilde é mais de fazer sessões de Netflix & Chill e de dançar. Para que nenhum dos dois deixe de fazer o que gosta, a Matilde tornou-se mais aventureira e acompanha o Miguel na maioria das aventuras. Quando é dedemasiado, a Matilde faz apenas de fotógrafa. O mesmo se aplica ao contrário, o Miguel tornou-se um grande dançarino e agora é o primeiro a sugerir irmos dar um pézinho de dança.

  1. Falta de privacidade e individualidade

Estas negociações e sacrifícios por vezes não são fáceis e têm que ser muito bem geridas para que nenhum perca a sua individualidade. Quanto à privacidade, essa é mais difícil de gerir. Realmente, quando se viaja a tempo inteiro com alguém, especialmente se até a cama divides com essa pessoa, os momentos de privacidade passam a ser praticamente inexistentes.

Isso pode ser algo bastante difícil de lidar a longo prazo, por isso é importante arranjar estes momentos de vez em quando. Para terem ideia, algumas vezes ficamos em diferentes áreas da casa ou hostel em que estamos alojados, assim enquanto a Matilde vê um filme, o Miguel joga um jogo no computador e basta esta hora ou duas para ajudar a ‘’respirar’’.

 

Achavam que a lista continuaria pelo menos por mais três pontos, certo? Pois nem tudo na vida é conta certa e acreditem que bem tentámos pensar em mais três pontos mas não conseguimos e isso é fantástico! É a conclusão perfeita para este artigo. As vantagens são mesmo muitas mais do que as desvantagens e, por mais que estas pareçam difíceis, viajar em casal é uma experiência incrível.

Nós costumamos dizer que viajar a longo prazo em casal é o melhor teste, pois “ou vai ou racha”. Como Gonçalo Cadilhe diz no seu livro Planisfério, a viagem é um catalisador do destino, e esta intensidade inerente às viagens resulta em relações fogosas e intensas.

O resultado poderá ser fantástico, pois torna uma relação muito mais forte e apaixonante. Mas, se não for uma relação madura e sincera, o resultado pode ser catastrófico.

Agora cabe-te a ti analisares se estás preparado/a para a aventura de viajar a longo prazo com a tua cara metade. Boa sorte 🙂

 

Artigo escrito por Matilde & Miguel @travelb4settle