Produtos de cosmética amigos do ambiente

Produtos de cosmética amigos do ambiente

A minha preocupação com o tema da sustentabilidade e da pegada ecológica começou há vários anos, maioritariamente por influência de viajantes anónimos que fui conhecendo ao longo do meu percurso. O constante confronto com a poluição e o desperdício de plástico, em muitos dos países que visitei, bem como o sentir na pele as consequências nefastas que advêm daí fizeram-me adoptar uma postura mais consciente em relação às minhas próprias escolhas. Logicamente que tudo é um work in progress e, não tenhamos ilusões, por muito verdes que possamos ser no dia-a-dia dificilmente conseguiremos ter uma pegada zero nesta nossa sociedade capitalista. Mas podemos e devemos adoptar mudanças de comportamento e, se pelo exemplo, conseguirmos motivar alguém a também alterar os seus hábitos então missão cumprida.

O tema que vos trago hoje é, portanto, o dos produtos de higiene e cosmética biológica, amiga do ambiente. Em algumas viagens da Landescape com perfil de montanha, natureza ou trekking solicitamos aos nossos viajantes que optem por este tipo de produtos – nomeadamente champô sólido, pasta de dentes biodegradável e protetor solar biológico – de forma a reduzirmos o impacto da nossa pegada na visita a parques nacionais e outros ambientes naturais.

Os cosméticos e produtos de higiene amigos do ambiente não devem apenas ter ingredientes naturais na sua composição, como também devem ser obtidos sem danos físicos ou ambientais e sem recurso a pesticidas, aditivos ou quaisquer outros compostos químicos. Outro aspeto muito importante a ter em conta é garantir que os produtos em questão não foram testados em seres vivos. Por isso mesmo, são sempre acompanhados de um selo, concedido pela empresa reguladora do país de origem. Esse selo certifica que o produto é eco-friendly, ou seja, amigo do ambiente. Em Portugal, a legislação que regula estas matérias não está completamente implementada, portanto é realmente importante atentarmos ao rótulo para termos a certeza do que estamos a comprar.

Se algum dos seguintes compostos constar na descrição, lamento, mas estás a ser enganado:

  • Derivados do petróleo (como as parafinas e silicones);
  • Parabenos;
  • Formaldeído;
  • 1,4 Dioxane;
  • Ftalatos;
  • Lauriléter sulfato de sódio;
  • Triclosan;
  • Polietilenoglicol;
  • Fenoxietanol;
  • Trietanolamina (TEA);
  • Dietanolamina (DEA);
  • Etanolamina (MEA);
  • Vaselina;
  • Talco.

Apresento de seguida as vantagens e desvantagens que encontro na escolha destes produtos, em detrimento de outros ditos “normais”.

✔️ Vantagens Desvantagens
Redução de riscos de alergia; Custo mais elevado;
Eficácia pela alta concentração de ingredientes ativos; Prazo de validade mais curto;
Diminuição do impacto ambiental; Não se encontra tão facilmente à venda nas grandes cadeias de distribuição, obrigando à compra online ou em lojas da especialidade.
Indicado para viagens de aventura que incluam atividades de outdoor e pernoita em ambiente de natureza.

Feita esta comparação, deixo de seguida uma sugestão dos produtos de higiene e cosmética que eu própria utilizo não apenas em viagem, mas no meu dia-a-dia. Bem como uma lista de lojas online onde podes adquirir estes e outros produtos semelhantes. E, claro, se tiveres outras sugestões a fazer-me por favor não hesites em contactar-me, gosto sempre de testar novas referências no mercado.

CHAMPÔ SÓLIDO

Atualmente, já existem diversas opções no mercado, algumas delas até bastante económicas quando comparadas com o champô líquido. Inclusivamente, marcas como a Garnier ou a Klorane já disponibilizam este formato de champô nos hipermercados.

Ainda assim, a minha escolha vai para o champô sólido produzido pela Mind the Trash, sendo que no meu caso opto pela versão adequada a cabelos com coloração e espuma fácil. Formulado para respeitar o pH do cabelo, hidratando-o com ingredientes naturais, de origem vegetal e orgânicos, dura imenso tempo e liberta um aroma maravilhoso. Com a vantagem de ser ecológico pois dispensa a embalagem de plástico.

PASTA DENTRÍFICA

Confesso que testei várias marcas até afinar com a Jordan Oral Care que é, atualmente, a minha marca de eleição em pastas dentífricas. Comprometidos com a sustentabilidade do planeta, a Jordan inclui na composição das suas pastas flúor e xilitol para fornecer a melhor proteção contra cáries, estévia natural para adocicar o sabor e extrato de chá verde conhecido pelas suas propriedades antioxidantes. 98% dos seus ingredientes são de origem natural, como é o caso do agente espumante suave que utilizam, e que resulta do milho, e lhes fez valer a distinção de Nordic Swan Ecolabel como prova de redução do impacto ambiental e cuidado com a saúde dos consumidores. Tem ainda a vantagem de que cada tubo de pasta contém até 50% de plástico reciclado, proveniente de embalagens de alimentos, como leite, água e garrafas de sumo, que os consumidores entregaram para reciclagem.

SABONETE PARA CORPO

Como viajo bastante, tenho por hábito adquirir aqui e ali sabonetes artesanais que depois uso ao longo do ano. É uma forma de contribuir para a economia local, normalmente apoiando projetos desenvolvidos por mulheres, e ao mesmo tempo a comprar alguma coisa no país que visito que seja algo útil a que possa depois dar uso.

A minha premissa é simples: porquê utilizar gel de banho embalado em plástico se existem outras opções mais sustentáveis? O sabão rosa, sim aquele antigo que as nossas mães e avós usavam para lavar a roupa, é uma opção acessível e eficaz, por exemplo, mas se preferires podes navegar pelas lojas online que indico em baixo e experimentares uns quantos até encontrares o que te deixa mais satisfeito.

DESODORIZANTE

À semelhança do que me aconteceu com a pasta dentífrica, também demorei algum tempo a afinar com uma marca de desodorizantes biológica que fosse realmente eficaz. Testei várias marcas, do alúmen de potássio a produtos artesanais feitos a partir do mel, e nada resultava. Além de suar imenso, nunca conseguia neutralizar por completo o mau odor. Tudo mudou quando me falaram da Nuud. À primeira bisnaga fiquei fã e já não quero mais nada!

Além de ser altamente eficaz durante 3 a 7 dias com uma única aplicação, a sua eficácia não é comprometida pela prática de atividades desportivas ou pelo contacto com a água. Graças à sua fórmula patenteada, previne maus odores ao neutralizar as bactérias com micropartículas de prata, não contendo álcool, fragrâncias, parabenos ou químicos perigosos. Para além disso é 100% vegano, não obstrói poros nem causas manchas e vem embalado num tubo feito a partir de açúcar de cana bioplástico.

PROTETOR SOLAR

Neste capítulo, há duas marcas que privilegio, são elas a Sol de Ibiza e a Mimitika. Quem me conhece, sabe que tenho a pele extremamente sensível aos raios solares, como tal se o assunto é evitar escaldões estou in. Assim, depois de lavar o rosto de manhã aplico o meu hidratante e, por cima, o protetor solar. Não importa se é Verão ou Inverno, o sol está sempre lá.

A Mimitika é uma marca francesa de cosméticos solares vegan e cruelty free, preocupada com o impacto que estes produtos têm nos ecossistemas do oceano, e que, graças a texturas agradáveis e fórmulas saudáveis com proteção anti-UV, se revela uma aposta consciente no momento de nos protegermos do sol. A gama disponível é grande com opções de grande e pequeno formato, adequados apenas ao rosto ou à totalidade do corpo, com factor de proteção até 50.

Já a Sol de Ibiza aposta em minerais orgânicos certificados na composição dos seus protetores, livres de conservantes e ingredientes tóxicos para o meio ambiente, bem como embalagens sem plástico e sem desperdício. Como tende a ser um pouco mais espesso que a Mimitika, uso especialmente na cara.

MENSTRUAÇÃO

Finalmente, uma dica mais direcionada às mulheres que todos os meses se vêm a braços com o período menstrual, que pode ser um verdadeiro atentado à natureza se considerarmos o desperdício de produtos descartáveis normalmente utilizados para conter o fluxo sanguíneo.

Para reduzir a minha pegada uso três produtos, que podem ser usados individualmente ou combinados:

  • O copo menstrual que é na verdade uma opção económica, ecológica e reutilizável. Consiste numa pequena taça feita de um material antialérgico que coleta o fluxo menstrual dentro da vagina. Pode ser reutilizado por dez anos e, por isso, tem um impacto ambiental muito inferior quando comparado com pensos e tampões, que podem levar entre 100 e 400 anos a decompor-se. É higiénico, na medida em que não liberta odores, e económico já que cada copo custa em média entre 20 e 25 euros. Como não contém químicos nem aditivos, presentes nos métodos mais comuns, ainda tem a vantagem de não acarretar o risco de infeção ou alergia. Podem encontrar à venda inclusivamente em farmácias;
  • Pensos menstruais reutilizáveis, feitos sem desperdício de tecido, em algodão orgânico e uma camada impermeável transpirável de algodão laminado para evitar fugas prevenindo sujar a roupa. O formato ajusta-se na perfeição à cueca, minimizando o excesso de tecido quando preso com as molas de aço inoxidável. Uso normalmente apenas para dormir, removendo o copo menstrual. Comprei os mesmos na Mind the Trash;
  • Pensos interlabiais reutilizáveis, elaborados artesanalmente com tecido 100% algodão polar orgânico, super macio e absorvente, provenientes de cortes ou desperdícios da indústria têxtil. É uma solução mais fina, leve e confortável indicada para recolher pequenas perdas de fluxo ou muco. Uso em substituição do penso diário e comprei os mesmos na Kriyã Atelier.

Antes de terminar, deixo-vos então algumas sugestões de lojas online, todas elas com preocupação ecológica, que uso regularmente para adquirir produtos de higiene e cosmética amigos do ambiente, mas também produtos de limpeza para a casa.

A mudança de hábitos está nas tuas mãos, junta-te a mim e a milhares de outras pessoas em todo o mundo nesta missão! 

Deixar um Comentário

Continuar a explorar | Belandescape

Recortes de Imprensa

Este site utiliza cookies, ao continuares estás a permitir a sua utilização. Quero saber mais Ok