fbpx
Mapa Meu - Travel Experiences Lda
+351 917 434 117

CANAL DU MIDI, uma viagem de bicicleta

Detalhes da Viagem

  • França
  • Cicloturismo / Cultural
  • 9 dias / 8 noites
  • 1200€ / pessoa
  • 4 - 9
  • + 12

Vídeos

Google+LinkedIn

Pedalar no Canal du Midi

É o maior canal marítimo da Europa e foi pensado como solução económica, militar e política. O principal objectivo servia o transporte de mercadorias, evitando a navegação em águas abertas, mais propriamente no estreito de Gibraltar. Projetado por Pierre Paul Riquet e pelo seu filho, Nathan-Paul Riquet no século XVII, numa ideia pioneira de ligar o Oceano Atlântico ao Mar Mediterrâneo. A melhor maneira de desvendar um património tão rico, é percorrê-lo de bicicleta, nesta que é uma nova proposta nas viagens da Landescape.

Inaugurado em 1681, o Canal du Midi que a Unesco incluiu na sua lista, percorre 240 quilómetros entre Toulouse e Sete e viaja por um total de 350 monumentos e obras de arte classificadas, entre pontes, aquedutos e pequenas barragens. É uma viagem para os amantes de natureza, história, gastronomia, património cultural e que, aliado a isso, gostem de viajar em estilo slow travel. Uma experiência acessível a todos, desfrutando de muitas paragens para apreciar o que de tão simples as paisagens nos têm para oferecer. Partindo de Toulouse, a eterna Cidade Rosa e passando por castelos e cidades fortificadas como Carcassone. Descobrindo vários estilos arquitetónicos ao longo do trajeto, como o são o Neoclássico, o Neoislâmico ou o Barroco, e tendo sempre como companhia campos férteis e árvores alinhadas ao longo do canal. Mais do que uma viagem de bicicleta, esta é uma viagem de descoberta e de superação.

Esta aventura, pensada pelo mentor da Landescape Rafael Polónia, levar-te-á a percorrer um dos trajetos mais acessíveis para iniciantes de uma viagem do género, liderada por alguém que já desbravou mais de 45 países sobre uma bicicleta. Pedalas connosco?

Onde iremos parar

  • Toulouse, a Cidade Rosa
  • Cidade medieval de Carcassone
  • Ponte-Canal de Orbiel
  • Ponte de Argen-double
  • Ponte-Canal de Rivassel
  • Eclusas de Saint-Roch
  • Narbona, a segunda colónia romana
  • Halle de la Machine

 

Itinerário

1
Dia 1 | Origem - Toulouse
Este dia está reservado para a tua viagem entre a cidade de origem e Toulouse, uma das cidades mais bonitas de França.

Depois da chegada ao alojamento e do check-in feito, nada melhor que uma primeira abordagem à cidade. Toulouse é a quarta maior cidade francesa e detentora de um património riquíssimo. O seu centro histórico emana personalidade, além de se distinguir dos demais pela cor tão característica dos seus edifícios. Dependendo da hora de chegada de cada um, planearemos o dia de forma relaxada, sendo que a primeira paragem será quase obrigatoriamente olhando o rio que atravessa a cidade. Se o tempo permitir, teremos a oportunidade de visitar alguns dos seus espaços mais marcantes, como o é a Basílica de St. Sermin, a maior igreja românica conservada da Europa. A noite chega e aproveita para fotografar, porque é aí que a cidade ganha outro charme.

As bicicletas chegarão no segundo dia pela manhã.
Hotel
2
Dia 2 | Toulouse
Hoje é um dia inteiro dedicado à cidade de Toulouse. Depois do pequeno-almoço, começamos pelo ponto de encontro da maioria dos habitantes, a Praça Le Capitole, ricamente adornada com uma cruz occitana, também conhecida como Cruz do Languedoc, composta por 12 ramos em que, em cada ponta, existe o símbolo de um signo. Esta cruz aparece pela primeira vez sob o reinado de Raymond VI em 1211, adaptado dos arsenais de Toulouse. Foi usado como o selo dos Condes e mais tarde como um símbolo da província de Languedoc e claro, da sua capital, Toulouse. Hoje é o emblema da cidade e da região da Occitânia. A nossa próxima paragem será no espaço da companhia Halle de la Machine, casa de 150 máquinas nascidas da imaginação do mestre fabricante François Delarozière. Do gigante Minotauro no qual podes apanhar uma boleia (+- 40 minutos - opção EXTRA) a aranhas gigantes, máquinas voadoras e de precursão que lançam chamas, gafanhotos e sapos bizarros, este é um inteiro mundo saído de puros delírios reais, que satisfazem a imaginação de crianças e de adultos.

A hora do almoço aproxima-se e podemos viajar até ao Mercado Vítor Hugo, paragem obrigatória e onde não se deve entrar com fome. Nascido em 1827 com outro nome e sendo o maior mercado coberto da cidade, este é o lar de 283 pontos de venda, que nos apresentam alimentos frescos da mais alta qualidade: pão, queijos, frutos do mar e peixes, carnes, frutas e vegetais, óleos, infusão de ervas, confeitarias, vinhos e um rol de outros produtos. É por aqui que nos vamos demorar.

Após o almoço, deixo-te algumas sugestões, já que o resto do dia é por tua conta. O Hôtel d’Assézat, pertencente à Fundação Bemberg, que por fora é ele próprio uma obra de arte, mas que dentro, entre outros tesouros, nos abre à arte de Pissaro, Toulouse-Lautrec, Picasso, Renoir, Gauguin ou Degas. Podes também visitar, do outro lado do rio, o Museu Les Abattoirs, um antigo matadouro, que nos abre portas à arte contemporânea. Podes também, se és amante de fotografia, entrar no Le Chateau d'Eau, um antigo depósito de água da cidade, transformado em espaço expositivo de fotografia, que vale bem a pena.

Ao fim do dia, juntamo-nos para jantar.
Hotel
3
Dia 3 | Toulouse - Villefranche-de-Lauragais (37kms)
A Cidade Rosa abre-nos o caminho para o Canal du Midi, uma obra que pertence à lista de Património Mundial da UNESCO. Do hotel, partimos para o primeiro dia em cima do selim, acompanhando este imenso canal onde foram plantadas mais de 60.000 árvores aquando da sua construção. Villefranche-de-Lauragais é o nosso destino hoje. Atravessamos a região com os seus enormes campos de cultivo e teremos de ter cuidado para não atropelar nenhum pato ou ganso que fazem do canal o seu habitat natural. O caminho é plano e fácil de percorrer. Chegaremos a Villefranche-de-Lauragais por volta da hora do almoço. Esta pequena cidade desviada 2 quilómetros do Canal du Midi, vai servir-nos de pernoita hoje.

Depois do check-in, caminhamos um pouco pela pequena comunidade para esticar as pernas. O primeiro dia é sempre o dia que parece custar mais. Sentir-te-ás cansado, contudo com sentimento de superação.
Hotel
4
Dia 4 | Villefranche-de-Lauragais - Castelnaudary (26kms)
Depois de uma noite bem dormida e com o pequeno-almoço tomado, pedalamos em direção ao canal que nos acompanhará tanto do lado esquerdo como do lado direito, no dia mais curto de todos. O piso mudará a certo ponto e será quase sempre sem o asfalto que nos acompanhou desde Toulouse até ao momento em que deixamos o Canal du Midi.

Pelo percurso, fazemos paragens para descansar ou beber qualquer coisa, em alguns cafés que tomaram casas construídas ao longo do canal e que deixaram de servir o seu propósito: a habitação.

Chegamos a Castelnaudary antes do almoço Esta cidade, foi já local de muitos moinhos e o de Cagurel datado do século XVII é prova disso. Mansões imponentes fazem desta comunidade uma joia arquitetónica.

Depois do check-in e de um merecido banho, caminhamos pela cidade e podemos apreciar uma das obras mais fantásticas do canal.
Hotel
5
Dia 5 | Castelnaudary - Carcassone (42kms)
Hoje o percurso leva-nos pela região de Cathar. Carcassone, o nosso destino de hoje, é uma das cidades medievais mais importantes e bem preservadas da Europa e parte do dia vai ser passado dentro das suas muralhas, explorando o centro histórico.

Mas para isso, primeiro é necessário pedalar os 42 quilómetros que separam Castelnaudary de Carcassone. O piso é sempre em terra batida e gravilha e a atenção máxima vai ser precisa para não te desequilibrares. À chegada, o nosso alojamento fica mesmo no centro da cidade nova, a menos de 15 minutos a pé das muralhas da cidade velha.

Classificada pela UNESCO, as fortificações são impressionantes, com as suas 52 torres em pedra. A tarde é livre e por isso podes desfrutar da cidade velha como bem te apetecer. Sozinho, deambulando pelas ruas ou acompanhado, descobrindo a gastronomia. As opções são algumas. Podes provar o Micheline, um licor de ervas nascido na região; visitar a Maison des Memoires (Casa das Memórias), mansão construída no século XVI onde o poeta Joe Bousquet se estabeleceu definitivamente no século passado. Viajante imóvel, ferido por uma bala em maio de 1918, o jovem que ficou paralítico, mal saiu de seu quarto depois deste acontecimento. O mundo mudou então e as artes vieram até ele. De Paul Valéry a Max Ernst, de Magritte a Louis Aragon, incluindo André Gide, Dali, Tanguy e Simone Weil, alguns dos maiores criadores do século XX desfilaram nesta casa.

À noite, com as pernas cansadas, sentamo-nos para jantar.
Hotel
6
Dia 6 | Carcassonne - Homps (41kms)
Saímos bem pela manhã, ainda fresca, e pedalamos entre o rio Aude e o canal, por entre plátanos e pinheiros. As pequenas comunidades ao longo do percurso são um autêntico tesouro, quase tiradas de livros infantis. Visitaremos ainda o Aqueduto de Orbiel, monumento classificado, construído em 1686-87 por Antoine Niquet e projetado pelo Marechal Sebastien Vauban, e que nos parece quase um rio passando uma ponte por cima de outro rio, ao contrário da pouca circulação de água a que estamos habituados; e a barragem de pedra de Argendouble.

Chegaremos a meio da tarde a Homps e depois do check-in, o resto do dia é por tua conta.
Hotel
7
Dia 7 | Homps - Narbonne (40kms)
Aldeias típicas como a de Paraza ou Le Somail cruzam-se no nosso caminho no dia de hoje. Deixaremos o Canal du Midi para nos juntarmos a outro canal, desta feita o Canal de la Robine, que nos levará à cidade que nos acolhe hoje, Narbonne. Terás ainda a oportunidade de visitar os canais em Salleles d'Aude e a Pont des Marchands, em Narbonne. Um dia, um dos mais prósperos portos do país, a mudança do curso do rio Aude, no século XIV, fez com que a cidade caísse em declínio, estando agora a 15 quilómetros do mar. Chegaremos a meio da tarde, tendo o resto do dia para descansar, já que no dia seguinte teremos tempo de explorar um pouco mais a primeira colónia romana fora de Itália.
Hotel
8
Dia 8 | Narbonne - Toulouse
4 Set'21

Hoje o dia é de regresso a Toulouse. Porém, como o transporte é feito por comboio, teremos ainda tempo de explorar um pouco mais o centro histórico da cidade calmamente. Lugares como a Catedral, a Pont des Marchands, o Museu da Arte e da História ou então, em poucos minutos, deixar que os pés enterrem na areia, com o mar Mediterrâneo como pano de fundo.

A meio da tarde regressamos então à Cidade Rosa, onde chegamos hora e meia depois, a tempo de escolhermos um local para jantar.
Hotel
9
Dia 9 | Toulouse - Origem
5 Set'21

Hoje é o dia de regresso a casa. Espero sinceramente que esta nova maneira de te dar o mundo a ver, tenha sido uma experiência memorável e para repetir, noutros destinos.

Resta-me agradecer-te a companhia e deixar-te um Até já!

O que está incluído?

  • 8 noites noites em hotel (quarto twin)
  • Todos os pequenos-almoços
  • Entradas nas atividades descritas no programa
  • Viagem de comboio entre Narbonne e Toulouse
  • Bicicleta comum
  • Acompanhamento do líder da Landescape em toda a viagem
  • Seguro Pessoal Básico de Viagem

O que não está incluído?

  • Voo ida e volta para Toulouse | Recomendamos a Geostar ou low cost (desde 70€)
  • Alimentação não especificada (+/-45€ dia)
  • Todas as atividades não incluídas no programa ou assinaladas como opção EXTRA
  • Bicicleta elétrica (OPÇÃO EXTRA + 100€)
  • Transporte de bagagem entre alojamentos (100€)
  • Transfers de/para o aeroporto em Toulouse
  • Upgrade Covid19 no Seguro Pessoal Básico de Viagem

Testemunhos

Uma experiência diferente e interessante com o melhor líder de viagens!
Alexandre R.
O líder esteve sempre disponível e foi muito simpático durante toda a viagem. Superou as minhas expectativas!
Ana V.
Esta viagem foi uma boa surpresa. Superou todas as minhas expectativas!
Guida B.
Uma viagem super agradável. Voltaria a repetir a experiência! Um líder bem disposto, que preza a harmonia do grupo, interessado em explicar e dar a conhecer os pontos de interesse que vamos encontrando ao longo do caminho. Recomendo :)
Carminda P.

Perguntas Frequentes

O roteiro da viagem. Como foi pensado?
O roteiro da viagem foi traçado para que todos pudessem usufruir de uma aventura calma, ao estilo slow travel, que juntasse a parte histórica, gastronómica e de descoberta, permitindo que os viajantes da Landescape, com ou sem experiência, usufruíssem sem muito esforço de uma experiência diferente nas suas férias. Mais do que uma viagem de bicicleta, esta é uma viagem de autoconhecimento, de superação e de descoberta das próprias capacidades e que pode revelar-se uma nova forma de viajar para quem ainda desconhece esta maneira de descobrir o mundo.
É necessário visto para entrar no país?
Para cidadãos da União Europeia não é necessário visto para entrar em França. Basta fazeres-te acompanhar de passaporte ou Cartão de Cidadão válido.
Como funcionam os transferes de/para o aeroporto?
Os transportes são por conta de cada viajante, à chegada e à partida. Porém, se te sentires mais confortável com esta opção, podemos enviar um transporte a partir do hotel que estará à tua espera, com o teu nome ou o nome da Landescape, no aeroporto. Para isso, terás apenas que nos fazer este pedido por e-mail com antecedência.
Como são os alojamentos durante a viagem?
Nesta, como em qualquer outra viagem da Landescape, damos primazia à higiene, centralidade, ambiente do alojamento e comodidade, pelo que o número de estrelas que cada alojamento tem não nos é relevante. É nossa preocupação ficar em locais com quartos twin (camas separadas) e casa de banho privativa. Nesta viagem em especial e porque passaremos por territórios com menos estruturas hoteleiras, é possível que os viajantes tenham de ficar em alojamentos separados, sendo que é nossa vontade que todos fiquem no mesmo sítio.
Como são os transportes nesta viagem?
O transporte será única e exclusivamente de bicicleta (Elétrica é opção EXTRA) e por essa razão, todas as deslocações serão feitas desta maneira. O trajeto maior nesta viagem será de 45 quilómetros. No regresso a Toulouse, a viagem será feita de comboio. Não existe qualquer viatura de apoio, pelo que se o viajante desejar um transporte para si ou para a bicicleta, esta será uma opção EXTRA.
É seguro viajar neste país?
Como em qualquer viagem, recomendamos atenção nos centros urbanos e em possíveis ajuntamentos e passagens em locais com mais gente. A taxa de criminalidade em França, nesta região que viajamos, é muito baixa e raramente acontece algo nas grandes cidades. É aconselhável que carteiras, documentos e máquinas fotográficas estejam devidamente acomodados em locais seguros.
É uma viagem cansativa?
Utilizando uma bicicleta como meio de transporte a viagem é naturalmente mais exigente que uma viagem comum em que se prestigiem os transportes públicos. Pedalaremos entre 25 e 45 quilómetros por dia, com um dia de descanso pelo meio (opcional) e naturalmente nos primeiros dias, o cansaço fazer-se-á sentir mais, pelo que nos últimos dias será bem mais pacífico. O terreno é plano, com uma elevação máxima de 30 metros e a ideia é que o grupo pedale sempre em conjunto e desfrute de todas as experiências juntos.
Qual a roupa mais adequada?
Será enviado, aquando da validação da inscrição, um Manual do Viajante onde terás acesso a todo o equipamento e roupa necessária e aconselhada para esta aventura.
Que comida nos será servida?
Num país como França, reconhecida internacionalmente pela sua grandiosidade gastronómica, é natural que teremos ao nosso dispor um sem número de pratos tradicionais do país e internacionais, fruto da multiculturalidade existente nas diferentes regiões por onde vamos pedalar. Não será também um obstáculo para os vegetarianos e vegans, que encontrarão sempre opções.
Esta viagem exige cuidados de saúde especiais?
Nenhuma vacina é obrigatória para entrar em território francês. No entanto, a Landescape tem uma parceria estabelecida com a Dra. Andreia Castro, médica com formação em Medicina do Viajante e blogger de viagens. Dessa forma, podes agendar com ela uma Consulta do Viajante Online que tem um custo de 30€ por pessoa, 50€ para 2 pessoas, 70€ para 3 pessoas e 80€ para 4 pessoas.

Como complemento, a Landescape disponibiliza-te ainda a possibilidade de integrares uma sessão de esclarecimento online que inclui a preparação do kit de viagem, a prescrição de medicação, a discussão sobre a vacinação a efetuar e respetiva prescrição e, ainda, um espaço para esclarecer eventuais dúvidas sobre os cuidados de saúde a ter no destino a visitar. Esta sessão tem um custo de 20€ por pessoa, 30€ para duas pessoas em simultâneo, 40€ para três pessoas e 50€ para quatro pessoas.
Há alguma restrição cultural?
Não existe qualquer restrição a nível cultural. Porém apelamos ao bom senso quando dentro de espaços religiosos, se os tivermos de visitar.
Quanto dinheiro é recomendável levar?
Sendo um país da zona euro, podes levantar dinheiro em qualquer caixa ATM, por vezes com pequenas taxas locais e/ou do teu banco. A maioria dos custos inerentes aos 8 dias desta viagem está já coberta no valor pago à Landescape aquando da inscrição (salvo opções EXTRA), pelo que o valor adicional que cada viajante deverá levar depende muito dos seus consumos, nomeadamente se bebe álcool ou se tem intenção de trazer muitas lembranças. Regra geral, 15 a 20€ por dia são suficientes para refeições e snacks.
Outras informações
Perguntas Frequentes

Marcação

InícioFimEstadoPreço
Data Sábado 17 Set, 2022 Domingo 25 Set, 2022 Vagas 8 Preço 1200€ Agendar

O Líder

Rafael Polónia

Curioso, observador, bem disposto e sempre pronto para novas aventuras, os destinos que lidero surgem-me quando me apaixono por um país.
Mais informação sobre o líder