Mapa Meu - Travel Experiences Lda
+351 917 434 117

VIAGEM AÇORES – Visita as ilhas mais bonitas do Atlântico

Detalhes da Viagem

  • Portugal
  • Aventura / Fotografia / Trekking
  • 10 Out, 2021 - 23 Out, 2021
  • 14 dias / 13 noites
  • 1790€ / pessoa
  • 8 - 12
  • + 12
Google+LinkedIn

Viagem aos Açores | Ilhas do Faial, Pico, São Jorge, Terceira, Flores e Corvo

Para esta viagem aos Açores, propomos-te conheceres seis das ilhas que constituem o seu arquipélago: Faial, Pico, São Jorge, Terceira, Flores e Corvo. Um destino nacional, totalmente seguro, especialmente vocacionado para amantes de trekking, cultura e natureza, que reúne o melhor dos Açores, numa aventura de 14 dias repleta de caminhadas, observação da fauna e flora locais, mergulhos e uma gastronomia invejável.

A nossa aventura começa na Ilha do Faial, o destino mais procurado nos Açores para o contacto com a vida marinha do Atlântico. De lá, continuamos em direcção às ilhas do Pico e de São Jorge, famosas pela sua natureza vibrante que convida ao trekking, cumprindo o roteiro de oito dias proposto pela Landescape. Se ainda tiveres dias de férias e quiseres aproveitar para explorar um pouco mais as maravilhas naturais do Atlântico, segue connosco até à ilha Terceira, conhecida como a ilha que está sempre em festa. Tem como sua capital, aquela que foi por duas vezes a capital do país e o primeiro local português a ser incluído na lista de Património Mundial da Humanidade, pela Unesco. É nesta mesma ilha que poderemos visitar o Algar do Carvão, que certamente te vai marcar pela sua imponência. 

É agora tempo de rumarmos às Flores e ao Corvo, duas ilhas de origem vulcânica situadas já na placa continental Americana, consideradas dos locais mais bonitos do mundo! É na ilha do Corvo, a mais pequena e apenas com cerca de 400 habitantes, que encontramos um povo com uma resiliência como não há igual. Diz o habitante corvino que “O silêncio do mundo está no Caldeirão do Corvo”, uma cratera com pequenas lagoas que se assemelham ao próprio formato do arquipélago. Na ilha das Flores, por muitos considerada a mais bonita das ilhas dos Açores pela sua beleza extrema, a palavra boquiaberto ganha sentido de uma forma indescritível. A natureza debruça-se sobre nós com uma paisagem de lagoas e cascatas e toda uma envolvente verde que não tem par.

Junta-te à Landescape e ao nosso líder de viagens, nascido e criado na região Luis Godinho, e deixa-te absorver pela tranquilidade destas paisagens, pela hospitalidade das suas gentes e prepara-te para uma verdadeira aventura nos Açores.

O que iremos visitar nos Açores | Ilhas do Faial, Pico, São Jorge, Terceira, Flores e Corvo

  • Trekking dos 10 vulcões, na ilha do Faial
  • Reserva natural da Caldeira do Faial
  • Cidade da Horta
  • Trekking na Caldeira da Fajã de Santo Cristo
  • Trekking até à Fajã dos Cubres
  • Cidade da Madalena, em São Jorge
  • Cidade de Velas
  • Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico
  • Subida ao Pico
  • A Gruta das Torres, na ilha do Pico
  • Cidade de Angra do Heroísmo
  • Praia de Porto Pim
  • Floresta Laurissilva
  • Algar do Carvão
  • Piscinas naturais de Biscoitos
  • Observação de cetáceos e outras espécies marinhas
  • Paddle na Fajã da Caldeira de Santo Cristo
  • 7 Lagoas nas Flores
  • Miradouro da Serra do Cume
  • Ilha do Corvo e Lagoa do Caldeirão

Itinerário

1
Dia 1 | Origem - Faial (Cidade da Horta)
Hoje é o dia da tua chegada ao Arquipélago dos Açores, mais precisamente à ilha do Faial. Como o teu voo chegará com certeza pela manhã e logo que tenhas deixado a tua bagagem no hotel (o checkin será possivelmente mais tarde) o Luís vai sugerir-te, neste primeiro dia sem quaisquer actividades marcadas, uma série de opções (extra) que poderás fazer e que, mediante o clima e as condições do mar, podes desfrutar: observação de baleias, golfinhos, mergulho, snorkeling, etc.

Quando todo o grupo estiver completo, da parte da tarde, faremos um pequeno passeio pela Horta, a capital da ilha e será difícil resistir à tentação de molhar os pés na famosa praia de Porto Pim (aproveita e lê o livro de Antonio Tabucchi, A Mulher de Porto Pim).

Vamos acabar o dia em redor de uma mesa bem recheada e, talvez, a beber e a brindar ao sucesso desta aventura, na esplanada de um dos cafés mais míticos do mundo, o Peter's Cafe Sport.
Hotel
2
Dia 2 | Faial (trekking na Caldeira do Faial, Floresta de Laurissilva)
Hoje pela manhã partimos para aquele que é o highlight do Faial. Este trekking está inserido na reserva natural da Caldeira do Faial, em área de paisagem protegida da Zona Central e termina quase 10 quilómetros depois, altura em que faremos uma pequena pausa. Ao longo do trilho, consegue perceber-se a origem e transformação constante da ilha com passagem nos Geossítios da Caldeira, cordilheira vulcânica da Península do Capelo e zona do Vulcão dos Capelinhos e Costado da Nau.

Este percurso inicia-se a uma altitude de 800/900 metros e ao longo do mesmo vamos poder observar várias espécies de aves, exemplares de flora típica da floresta Laurissilva e zonas de campos de cultivo e pastoreio. Alguns dos destaques vão para a Furna Ruim, Algar do Caldeirão, Cabeço do Canto, Cabeço Gordo - a quase 1050 metros de altitude - ou o Cabeço do Fogo.

Neste dia, desfrutamos de um cenário dominado pelas cinzas vulcânicas provenientes da última erupção do arquipélago, entre 1957 e 1958 e que acrescentou 2,4 km2 à ilha.

Regressados ao hotel, é tempo de descansar.
Hotel
3
Dia 3 | Faial - Pico (Gruta das Torres, Observação de cetáceos)
Bem pela manhã apanhamos um barco para o Pico que nos leva uma meia hora de viagem. Chegados, deixamos a bagagem no nosso hotel e vamos dedicar o dia a explorar a natureza, primeiro visitando a Gruta das Torres, o maior tubo lávico de Portugal, com uma extensão de 5150 metros que faz parte da formação dos Lajidos e que se insere no Complexo Vulcânico da Montanha. Este monumento natural ter-se-á formado há cerca de 1500 anos durante uma erupção com origem no Cabeço Bravo. Vamos poder observar, ao longo de aproximadamente uma hora de visita, vários tipos de lavas e diversas formações geológicas, das quais destacamos diferentes tipos de estalactites e estalagmites lávicas, bancadas laterais e lavas encordoadas, entre outros.

Daqui saímos para almoçar e a parte da tarde é reservada à exploração do mar. Subimos a bordo de pequenos barcos e entramos oceano adentro para nos deliciarmos e aprendermos com guias experientes, sobre as 28 espécies de cetáceos que podem ser encontradas nos Açores. A probabilidade de ver baleias e golfinhos é enorme, ainda para mais na Primavera, quando estas aqui passam durante a sua migração, sendo que além destes gigantes do mar, podemos contemplar tartarugas, aves e outras espécies marinhas. A tarde marca-nos a pele de água salgada e é assim que regressamos ao nosso alojamento.

À noite reunimo-nos para jantar.
Hotel
4
Dia 4 | Pico (subida ao Pico)
Depois do pequeno-almoço, a manhã serve para nos prepararmos para a subida ao pico...do Pico, o ponto mais alto de Portugal.

Começamos de tarde a subida, sempre acompanhados por um líder de montanha experiente, para ver o pôr-do-sol, já lá em cima. O trajecto levar-nos-á mais ou menos 4 horas e tens que vir preparado para o frio que se vai fazer sentir, pois é lá em cima, no ponto mais alto, que vamos pernoitar. A Landescape vai fornecer o material de que necessitas: tenda, saco-cama e alimentação, porém é mesmo necessário vires preparado para esta aventura, pois será com certeza um teste ao teu corpo. Se achares que ficas mais confortável com um saco-cama extra, podes trazer.

Já lá em cima e noite dentro, o céu parece mais próximo.
Tenda de campismo
5
Dia 5 | Pico (Montanha do Pico, Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico)
Vamos acordar ainda o sol não raiou e o amanhecer será memorável, avistando todas as ilhas do grupo central. Comemos um snack e iniciamos a descida, que nos levará mais ou menos 3 horas a fazer.

Já cá em baixo, ao final da manhã, descansamos as pernas e o resto do dia é por tua conta. A Madalena é um local onde não vai faltar o que fazer. Há várias coisas a fazer por aqui e o que te proponho é alugarmos umas bicicletas e descobrirmos uma parte da ilha muito especial, a Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, integrada na lista de Património Mundial da Unesco desde 2004. É percorrendo este labirinto protegido que passamos parte da tarde,

À noite escolhemos um restaurante ao nosso gosto para provar as especialidades locais.
Hotel
6
Dia 6 | Pico - São Jorge (Percurso Pedestre da Caldeira da Fajã de Santo Cristo)
Seguimos hoje para São Jorge, a ilha onde pernoitamos nas duas próximas noites.

À nossa chegada, um transfer em forma de moto 4 estará à nossa espera mas não para nos transportar a nós, mas à nossa bagagem, já que só apanhamos boleia até ao início do Percurso Pedestre da Caldeira da Fajã de Santo Cristo, que começa na Serra do Topo. Este trilho, que nos vai levar parte do dia a fazer, num total de cinco quilómetros feitos vagarosamente, é mítico e um dos mais bonitos do arquipélago e, pelo meio, podemos mergulhar na famosa cascata da Fajã, uma queda de água de 10 metros que encontra nesta falha geológica o seu mais bonito momento.

Chegamos à Fajã, é hora de nos encontrarmos com um lugar especial e por essa mesma razão, queremos que o aproveites à tua maneira. O “silêncio” provocado pelas ondas do mar vão ser o teu único burburinho. Desfruta do paraíso.
Guesthouse
7
Dia 7 | São Jorge (Fajã da Caldeira de Santo Cristo)
Hoje levantamo-nos ao nosso ritmo e depois de um bom pequeno-almoço, caminhamos durante uma hora montanha acima para apreciar uma das mais belas vistas desta viagem, com o Pico e a Graciosa ao fundo. Passamos por ali algum tempo e regressamos à Fajã da Caldeira de Santo Cristo para um almoço tardio. O que vos proponho para a tarde são algumas actividades ao ar livre. O mar é vasto e além do surf, muito popular nesta zona, vamos alugar umas pranchas de paddle e podem desfrutar as águas do oceano calmamente e apreciar a ilha de outra perspectiva. Podem também apanhar um transfer e sozinhos ou em grupo, desfrutarem de mais um trekking nos arredores da Fajã (podemos informar-te acerca disso). A noite pousa sobre as águas dos Açores e reunimo-nos para o nosso último jantar.

Vamos dormir cedo que amanhã acordamos pela madrugada.
Guesthouse
8
Dia 8 | São Jorge - Terceira
Saímos antes do nascer do sol, para um pequeno trekking de cerca de uma hora até à Fajã dos Cubres. Tudo isto para te levar a conhecer a Fajã do Ouvidor, bem lá em baixo, antes de rumarmos a Velas.

Como o nosso voo partirá a meio da tarde, deixamos-te algumas sugestões como um "rally" com o objectivo de provar o famoso queijo de São Jorge e, à distância de um táxi, fazer uma visita à Fábrica de atum Santa Catarina e levar iguarias directamente do produtor.

É hora de voar para a Terceira, onde pernoitamos nos próximos dois dias. Já na Terceira, escolhemos um restaurante em pleno centro histórico e brindamos ao meio da viagem.
Hotel
9
Dia 9 | Terceira (Algar do Carvão, Serra do Cume)
Com o mar como pano de fundo, partimos para um dia inteiro a visitar a Terceira. Dizem, por aqui, que os Açores são constituídos por 8 ilhas e um salão de festas e esse salão é a Terceira. Todo o ano se vive algum tipo de festividade e o Luís pode falar-nos melhor disso, afinal de contas é filho da terra.

Deixamos a capital, Angra do Heroísmo, para mais tarde. Aquela que já foi por duas vezes a capital do país e a primeira inscrição na lista de Património Mundial da Unesco em Portugal, vai receber-nos à chegada deste dia onde vamos descobrir algumas das pérolas da ilha, como o são o Algar do Carvão, o único vulcão no mundo onde se pode descer caminhando pelo seu interior; piscinas naturais, miradouros com verdes a perder de vista, furnas, entre outras maravilhas, sendo que acabamos o dia com um por do sol na serra do cume.

Espera-te um dia em cheio!
Hotel
10
Dia 10 | Terceira – Flores (Fajã Grande, Floresta Endémica, Poço da Alagoinha)
Depois do pequeno-almoço, um transfer levar-nos-á novamente ao aeroporto das Lajes, a poucos quilómetros da capital da ilha, já noutro concelho, o da Praia da Vitória. de onde voaremos para a ilha das Flores, onde chegamos ao início da tarde. Dali, outro transporte leva-nos para o nosso alojamento. Começam assim os nossos últimos dias de viagem, que mais poderíamos dizer: os últimos dias no Paraíso.

Após um snack, caminhamos desde o Lajedo até à Fajã Grande. Entramos pela Floresta Endémica dos Açores – ou Floresta Laurissilva - o nome atribuído a um tipo de floresta húmida subtropical, composta maioritariamente por árvores da família das lauráceas e endémico da Macaronésia, região formada pelos arquipélagos da Madeira, Açores, Canárias e Cabo Verde, e que devido ao seu clima, que é temperado húmido ou muito húmido, permite às florestas açorianas terem um aspeto e complexidade muito semelhantes às florestas tropicais. Não é de espantar então que no nosso caminho possamos observar várias espécies de plantas, como o são o azevinho, a faia-da-terra, espigos-de-cedro, urze ou ginjeira-do-mato (para nomear algumas) entre outras dezenas de seres vivos, vários cursos de água e o mágico lugar do Poço da Alagoinha.

A noite reserva-nos um céu estrelado.
Alojamento local
11
Dia 11 | Flores (Trekking na Fajã Grande)
Hoje é o dia perfeito para mais uma longa caminhada pela natureza, num explorar constante. Depois de um reconfortante pequeno-almoço, percorreremos mais de uma dezena de quilómetros, calmamente, enquanto fotografamos paisagens que nos enchem de um verde intenso.

É das proximidades do cais da Fajã Grande que hoje começa o nosso trekking, na parte oeste da ilha, deixando-nos frente a frente com uma vista fabulosa para o mar, alguns ilhéus, como o é o Ilhéu Maria Vaz, a ilha do Corvo e o farol mais ocidental da Europa. A Fajã Grande, apesar de ter pouco mais de 200 habitantes, é umas das zonas de referência da ilha. Este povoado que cresceu rapidamente, beneficiando da abundância de água potável e do fácil acesso ao mar viu, na obra Saudades da Terra, escrita por Gaspar Frutuoso, ser-se descrita desta forma:

“Dali a um quarto de légua está uma Fajã, chamada Grande, que dá pão e pastel, em terra rasa, com algumas engradas onde entram caravelas de até cinquenta moios de pão a tomar o pastel que nela se faz, onde também há marisco e pescado de toda a sorte, e no cabo dela está um areal, de meia légua de comprido, em que sempre, anda o mar muito bravo. E dali por diante, a outra meia légua, é tudo rocha talhada, onde se apanha muita urzela, e de muita penedia por baixo, em que se cria infinidade de marisco e grandes caranguejos e desta mesma maneira corre a rocha um tiro de bombarda até uma ponta, que sai ao mar um tiro de arcabuz, com um baixo de pedra, que tem lapas e búzios; e, logo adiante da ponta, se faz uma baía, onde com ventos levantes ancoram navios de toda a sorte e também naus da Índia. No meio deste ancoradouro cai da rocha no mar, a pique, uma grande ribeira.”

Será um dia cheio de aventuras para contar.
Alojamento local
12
Dia 12 | Flores (Lagoa Funda, Lagoa Comprida, Lagoa Negra e Poço do Bacalhau)
O percurso que vamos fazer neste dia é dos mais impressionantes. Começamos por alguns locais que mais parecem “talhados à mão” e que fazem parte, desde 2009, da Rede Mundial de Reservas da Biosfera da UNESCO. Este conjunto de 7 lagoas (Lagoa Branca, Lagoa Comprida, Lagoa Rasa, Lagoa da Lomba, Lagoa Negra, Lagoa Seca e Lagoa Funda) – do qual vamos poder observar algumas – formaram-se em sete crateras originadas por erupções vulcânicas.

Destacamos a Lagoa Comprida, com o seu formato irregular e com uma queda de água estrategicamente posicionada acima da lagoa, que torna a paisagem ainda mais exuberante. A cor da sua água contrasta com a da Lagoa Negra, mesmo ao lado, que possui águas escuras e profundas, podendo chegar a 100 metros de profundidade. Rodeadas de montanhas cobertas com muito verde, o colorido das flores e uma diversidade enorme de plantas, fazem deste local o cenário perfeito para quem gosta de fotografia.

No fim deste maravilhoso dia de trekking, se tiveres coragem, a água gelada do Poço do Bacalhau espera por ti, com uma cascata gigante que se precipita sobre o abismo. É hora de um mergulho.

No final do dia irás ter certamente o corpo rejuvenescido.
Alojamento local
13
Dia 13 | Flores - Corvo (Lagoa do Caldeirão) – Flores Hoje é dia de navegar.
Apanhamos o barco para a Ilha do Corvo, a mais pequena do arquipélago dos Açores, com uma extensão de 6,5km por 4km e serás presenteado por um lugar fora do comum. É formada por uma única montanha vulcânica extinta, o Monte Gordo, coroado com uma ampla cratera com 3,7 km de perímetro e 300 metros de profundidade, onde se aloja a Lagoa do Caldeirão. Tem uma única vila habitada por 450 pessoas, uma estrada, uma câmara municipal, um avião três vezes por semana, um posto médico, um infantário, uma escola, uma igreja, um restaurante.

Nas palavras do realizador português Gonçalo Tocha, autor do filme “É na Terra, não é na Lua”, sobre a pequena ilha: “o que me fascinava era a sua história, a capacidade de sobrevivência de uma comunidade que durante séculos teve que fazer tudo por conta própria, sem esperar qualquer ajuda vinda de fora. Da comida ao lazer, tudo tinha de ser providenciado pelos próprios habitantes da ilha. Esse fator determinou o caráter da população do Corvo, que revela “diferenças abissais” em relação a outras comunidades açorianas.”

Fazemos da Lagoa do Caldeirão o nosso objectivo de hoje e por ali ficamos, deliciando-nos com a capacidade que a natureza tem de nos surpreender, sempre. Descemos, caminhamos em volta dela, mas jamais deixá-la fora do nosso campo visual.

No final do dia regressamos à ilha das Flores, para o descanso merecido.
Alojamento local
14
Dia 14 Flores – Origem
Hoje é dia de despedida. Resta-me agradecer-te a confiança e que leves na mala uma imensidão de fotografias e memórias para mais tarde recordar. O teu voo partirá das Flores para Ponta Delgada ou Terceira e de lá, regressarás a casa.

Obrigado!

O que está incluído?

  • Alojamento | 13 noites (hotel, guesthouse e tenda)
  • Todos os pequenos-almoços
  • Transportes dentro das ilhas
  • Barco entre Pico e São Jorge
  • Barco entre Faial e Pico
  • Barco entre as Flores e o Corvo
  • Entrada na gruta das Torres
  • Tour na Terceira de van privada para o grupo
  • Bicicletas na Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico
  • Pranchas de paddle e canoas na Caldeira da Fajã de Santo Cristo
  • Acompanhamento de guia de montanha no Pico (Atividade Extra)
  • Tenda e saco-cama no Pico (caso optes por fazer a ascensão do Pico)
  • Transporte para locais onde começam os trekkings
  • Acompanhamento do líder da Landescape em toda a viagem

O que não está incluído?

  • Voo ida e volta para o Arquipélago | Recomendamos a Geostar (desde 130€)
  • Voos internos (+/- 180€ - adquiridos pela Landescape e pagos pelo viajante)
  • Alimentação não especificada (+/-30€ dia)
  • Ascensão ao Pico com pernoita (50€)
  • Todas as atividades não incluídas no programa ou assinaladas como Extra
  • Despesas pessoais
  • Transfers de/para o aeroporto no Faial e Flores, aquando da chegada e regresso
  • Seguro pessoal de viagem | Obrigatório - Recomendamos IATI SEGUROS

Testemunhos

As palavras são poucas para falar do Luís. É muitíssimo inteligente, com tudo o que isso encerra. Simpatia, doçura, humildade, delicadeza, sensibilidade. Gostava de voltar a encontrá-lo mais vezes.
Teresa B.
Do ocidente e mais além... todos os dias repletos de magia, de companheirismo, de belas paisagens, de bons sabores e de imprevistos temporais que tornaram a viagem ainda mais inesperada e surpreendente! O Luís Godinho tornou tudo bem leve e harmonioso. Um líder nato e genuíno, difícil de encontrar. Tantos sítios para visitar mas repetiria tudo outra vez. Foi maravilhoso!
Tânia C.
O Luís é um líder maravilhoso, e um ser humano fantástico e muito interessante. É um agregador de pessoas, por mais diferentes que possam ser, sempre afável e carinhoso, atencioso e descontraído. Foi um privilégio conhecer parte dos Açores pela perspectiva dele e sentir a sua paixão por aquelas ilhas. Foi contagiante. Ficámos todos irremediavelmente apaixonados.
Sónia C.
Os locais visitados eram lindíssimos e foram explorados de forma única. Tenho a certeza que aproveitei melhor a visita a estas ilhas por ter viajado com o líder Luís Godinho. De outra forma não teria descoberto tantos sítios de grande beleza, nem encontrado tantas pessoas naturais destas incríveis ilhas.
Cláudia S.

Marcação

InícioFimEstadoPreço
Data Domingo 10 Out, 2021 Sábado 23 Out, 2021 Vagas 12 Preço 1790€ Agendar

O Líder

Luís Godinho

As viagens e a fotografia seduzem-me a tal ponto que já pensei seriamente em deixar tudo para trás para ir dar a volta ao mundo!
Mais informação sobre o líder