Irão

Nesta viagem pelo Irão, chama-lhe Pérsia se te sentires mais confortável, queremos revelar-te um país riquíssimo em história e sabedoria, terra natal de um povo genuinamente hospitaleiro e conversador que te receberá de braços abertos e sorriso na cara, na esperança de mudar a má fama internacional que a imprensa, de forma generalizada, tem conseguido criar no imaginário de tantos. Mas relaxa, porque o Irão é um país seguro para viajares, aliás é quase uma missão para a Landescape provar-te o quão surpreendente consegue ser, pese embora haja um risco: é muito provável que, tal como nós, te apaixones profundamente pelos iranianos e pela sua cultura, e queiras regressar muito em breve.

  • + 16 anos
  • 4-12 pessoas
  • 16 dias
  • A partir de 1.450€ / pessoa

Selecciona a viagem que procuras

  • VIAGEM IRÃO – Teerão a Shiraz, explorando a antiga Pérsia
    15 a 30 Out 2022
  • VIAGEM IRÃO – Teerão a Shiraz, explorando a antiga Pérsia
    22 Abr a 7 Mai 2023
  • VIAGEM IRÃO – Teerão a Shiraz, explorando a antiga Pérsia
    14 a 29 Out 2023

Reserva aqui a tua viagem

VIAGEM IRÃO – Teerão a Shiraz, explorando a antiga Pérsia

com Miguel Judas

Viagem Esgotada
15 a 30 Out 2022
Saber mais sobre esta edição Fechar informação desta edição

Se há país de que falamos com especial carinho, é do Irão! Aqui encontrarás as pessoas mais bondosas, hospitaleiras, genuínas e simples do mundo. E se isso não bastasse, a antiga Pérsia ainda nos presenteia com inúmeras atrações turísticas como o Grande Bazar e o Museu das Joias que podes conhecer numa visita a Teerão, uma capital frenética de 15 milhões de habitantes. Na artística cidade de Shiraz, terra de poetas, visitaremos a Mesquita Vakil e o imponente complexo de ruínas de Persépolis. Segue a viagem até Yazd, outrora atravessada pela Rota da Seda e, segundo reza a lenda, a terra de onde partiram os três reis magos. De lá rumamos até à ao castelo de Ariz, entretanto transformado num eco-hotel, situado num oásis no deserto de Karakal, que também iremos explorar.

Mas nesta viagem ao Irão, o líder de viagem Miguel Judas vai ainda levar-te a mais duas paragens apaixonantes. Isfahan, a Paris da Pérsia e capital cultural do Irão, uma cidade que mais parece um monumento à arquitetura a céu aberto. As opções são muitas, mas não deixes de fora a visita à Jameh Mosque, a maior do país, recentemente acrescentada à lista da Unesco. E finalmente Kashan, mesmo às portas do deserto, que convida a uma caminhada por entre as ruas onde abundam casas senhoriais do século XIX.

O que iremos visitar no Irão

  • A Mesquita Imam Khomeini e o Artists Park, na capital Teerão
  • Grande Bazar de Teerão
  • O Palácio Golestan e a Mesquita Vakil em Shiraz
  • Tour em Persépolis
  • Museu da Água e o complexo Amir Chakhmakh, em Yazd
  • Tour no deserto de Karakal
  • O pôr do sol e nascer da lua no deserto
  • A ponte Khaju e os seus 33 arcos
  • Visita a Jameh Mosque, em Isfahan
  • Aldeia de Abyaneh
  • Casas senhoriais de Kashan

O que está incluído?

Alojamento
15 noites em hotel ou caravançarai

Refeições
Todos os pequenos-almoços
1 Almoço
2 Jantares

Entradas e atividades seguintes:

  • Palácio Golestan
  • Persépolis e Necrópoles
  • Mesquita Imam
  • Mesquita Sheikh Lotf Allah
  • Palácio Ali Qapu
  • Mesquita Jameh
  • Fin Garden
  • Catedral Vank
  • Tour em Kashan (em inglês)
  • Tour em Persépolis (em inglês)

Todos os transportes descritos no programa
Exceto de carácter pessoal

Seguro Pessoal Básico de Viagem

Acompanhamento do líder da Landescape

O que não está incluído?

  • Voos internacionais 
    Recomendamos a Geostar
  • Visto de entrada no país (cerca de 50€)
  • Actividades e visitas extra
    Deserto (50$)
  • Alimentação não especificada (cerca de 15€/dia)
  • Transfers de/para o aeroporto
  • Despesas pessoais e gorjetas
  • Upgrade Covid19 no Seguro Pessoal Básico de Viagem

Diário de Bordo

Dia 1   Origem - Teerão

Este dia está reservado à tua viagem entre a cidade de onde partes e a capital iraniana. Como o voo deverá chegar de madrugada, para este dia não está planeada nenhum tipo de atividade.

Resta-te apanhar um transfer do aeroporto para o hotel e descansar.
Estadia: Hotel

Dia 2   Teerão

Teerão não parece, à primeira vista, uma cidade agradável, até começarmos a caminhar e a descobri-la. Mais do que tudo, esta viagem é feita de muitos quilómetros a pé, a melhor maneira de nos cruzarmos com a vida iraniana.

A partir do meio da manhã, vamos perceber finalmente o que é a gigante capital iraniana. Vamos percorrer alguns dos highlights, mas fugimos também ao circuito normal. Ao primeiro impacto, reparamos logo no Grande Bazar, local de encontro e das compras do dia-a-dia, que nos ajudará no desenferrujar de pernas das horas de voo e descanso.

A Mesquita Imam Khomeini, onde podemos observar alguns fiéis em oração, e o Museu das Jóias, talvez o maior “postal de visita” da cidade, guardado na caixa-forte do Banco Central, são alguns dos locais que iremos visitar.

Depois existem os parques verdes, tão essenciais na vida dos habitantes da capital e tão necessários para fugir um pouco da poluição imensa. Convido-te a vires comigo ao Artists Park, onde jovens artistas iranianos têm possibilidade de mostrar a sua arte. Por lá jantamos, num dos meus restaurantes favoritos da cidade. No caminho, um dos ícones urbanos recentes mais emblemáticos da cidade – os murais da antiga embaixada norte-americana, o centro de “espionagem”.
Estadia: Hotel

Dia 3   Teerão - Shiraz

O dia começa com uma visita ao extravagante e inacreditável Palácio Golestan, que remonta ao século XVI e que foi, mais tarde, o complexo habitacional da dinastia Qajar.
Depois de um snack, partimos para o aeroporto, prontos para uma viagem que demorará pouco mais de uma hora e que nos levará ao sul.

O dia em Shiraz será programado dependendo do horário do voo. Bem-vindos ao coração da Pérsia. Terra de poetas, outrora de um dos melhores vinhos do mundo e dos rouxinóis. Deixaremos as coisas no hotel e, depois de almoçarmos, caminhamos para o centro histórico.

O bazar Vakil é o primeiro postal da cidade, construído por Karim Khan, que tencionava tornar Shiraz no grande centro de comércio do Império. Num ápice será hora de parar para um chá ou então um gelado dentro de um sumo de cenoura ou Faloodeh, uma receita tão antiga como o Império Persa, que consiste em noodles gelados com sumo de limão e gelado. De chorar e pedir por mais, garanto.

A visita continua na cidadela de altos muros e torres de 14 metros e, mesmo ao lado, a Mesquita Vakil, uma das mais bonitas de toda a Pérsia.
Estadia: Hotel

Dia 4   Shiraz

O dia de hoje será uma viagem ao passado: Persépolis será o nosso destino, um complexo de ruínas imponente mandado construir por Darius “O Grande” em 518 a.C. e totalmente destruído por Alexandre, O Grande, sendo hoje um dos mais importantes monumentos classificados pela Unesco como Património Mundial da Humanidade. Porém, antes disso, caminharemos até àquele que será de certeza um dos locais de culto mais fotografados do país.

Chegaremos de Persépolis a meio da tarde, prontos para vaguear um pouco pela cidade. A noite reserva-nos um local muito especial, destino de peregrinação de milhares de iranianos.
Estadia: Hotel

Dia 5   Shiraz - Yazd

Um autocarro matinal levar-nos-á a Yazd, uma das cidades mais antigas do mundo. Será a viagem mais longa desta aventura pela Pérsia. Chegaremos a meio da tarde, prontos para comer alguma coisa e partir à descoberta da cidade.

Outrora atravessada pela Rota da Seda, é caminhando pelo seu labirinto de ruas que nos apercebemos da sua riqueza, com os imponentes e importantes badgirs que refrescam as casas e as mesquitas, e onde se destaca a dominante Jameh Mosque.

A hora do jantar aproxima-se. Preferes uma refeição iraniana ou indiana?
Estadia: Hotel

Dia 6   Yazd

Acordamos bem cedo na cidade que parece emergida do deserto. Após o pequeno-almoço, vamo-nos perder no centro histórico. Yazd é considerada uma das cidades mais antigas do mundo, de acordo com a Unesco, e isso vê-se à medida que a percorremos, calmamente.

Pela tarde, visitamos o interessante Museu da Água e observamos o complexo Amir Chakhmakh. É hora de caminharmos até ao Templo do Fogo e apanhar um transporte para as Torres do Silêncio, espaço reservado aos zoroastrianos, uma das mais antigas religiões do mundo, inspiração ao judaísmo, cristianismo e islamismo. É este o local ideal para ficarmos uns momentos, antes de regressarmos à cidade.

Hora de espreitar o singular Club Zurkhaneh.
Estadia: Hotel

Dia 7   Yazd – Garmeh

A manhã é livre e podes explorar Yazd da maneira que entenderes. Pela hora do almoço, porém, é hora de reunirmos para sermos transportados até ao deserto, na distante aldeia de Garmeh. Uma jornada com uma paisagem árida a perder de vista.

Chegaremos ao nosso alojamento a meio da tarde e um jantar tradicional deverá estar à nossa espera. Garmeh é sinónimo de silêncio e descanso.
Estadia: Alojamento local

Dia 8   Garmeh

São várias as opções por aqui, apesar do isolamento, e o dia é inteiramente livre.
Mal amanheça, toma um bom pequeno-almoço e, se desejares, acompanha-me à colina adjacente, para uma visão total da aldeia e, no caminho, a nascente de água que alimenta a pequena aldeia. Depois disso, as minhas sugestões (atividades extra) vão para uma viagem deserto fora, pelas dunas, para vermos um dos mais bonitos pores do sol. E por ali ficamos.

Quem não quiser optar por esta atividade, pode ficar pela aldeia e aproveitar o silêncio da mesma para ler, passear ou simplesmente relaxar. Já de noite, regressamos cansados a Garmeh e o jantar chega.
Estadia: Alojamento local

Dia 9   Garmeh – Isfahan

Neste dia, parte da manhã pode ser aproveitada para caminhar um pouco pela aldeia, à tua vontade, ou então para um pequeno-almoço tardio. Aproveita para subir ao terraço da guesthouse e pôr o diário de viagem em dia. O nosso transporte parte de Khur, a 30 quilómetros dali, por volta da hora do almoço e serão 6 longas horas até Isfahan.

Já na cidade, teremos o prazer de jantar num dos restaurantes mais típicos. A noite apresenta-nos uma cidade surpreendente.
Estadia: Hotel

Dia 10   Isfahan

Existe um provérbio persa que diz “Esfahan nesf-e jahan ast” (Esfahan é metade do mundo) – e a verdade é que é um monumento à arquitetura a céu aberto.
Mesquitas, palácios, jardins, pontes históricas, pessoas simpáticas. Vamos tirar o dia para desfrutarmos, sem pressas, do ritmo da cidade. Não faremos qualquer visita a museus, mesquitas ou outro qualquer espaço fechado.

Por sua vez, caminharemos até à ponte Khaju e percorreremos o rio até à ponte dos 33 arcos, onde um chá nos convidará a sentar. Mais tarde, olharemos a cidade de cima, de um dos locais mais antigos e emblemáticos para os zoroastrianos. Dali, um transporte local devolver-nos-á ao centro da cidade, onde jantaremos. Por ali ficamos, conversando com os locais, espreitando as bancas dos bazares para umas compras ou bebericando um café num espaço à nossa escolha.
Estadia: Hotel

Dia 11   Isfahan

Depois de uma noite de descanso, apanhamos um táxi para uma aproximação a mais de 800 anos de história na Jameh Mosque, a maior mesquita do Irão, recentemente acrescentada à lista da Unesco. No regresso, espreitamos o maior minarete da cidade, à medida que nos apercebemos do tamanho do imenso bazar de Isfahan.

Almoçamos, bebericamos um café e deliciamo-nos com uma visita aos edifícios da Praça Imam: a mesquita Masjed-e Imam, uma das mais bonitas do mundo, o palácio Ali Qapu, construído por Shah Abbas I e de cujo terraço tens uma vista magnífica da praça, além da sala de música, dos frescos e do tecto em madeira trabalhada e, mesmo em frente, podemos ver já a mesquita Sheikh Lotfollah, diferente de todas as outras pela falta de minaretes (uma história particular que terei tempo de te contar).

Não nos enganamos se dissermos que vamos passar o resto do dia nesta praça, contemplando a beleza de todos os edifícios. Não resistiremos de certeza a provar um doce tradicional numa das muitas casas da especialidade.

À noite, sentamo-nos na praça principal e desfrutamos da hospitalidade do povo iraniano.
Estadia: Hotel

Dia 12   Isfahan – Kashan

Sugiro que dediquemos a manhã ao coração do bairro cristão da cidade. A Catedral Vank, em Nova Jolfa, é razão mais do que suficiente para uma longa caminhada ao longo do rio e uma visita a este bairro arménio a uns quarteirões do centro da cidade. É lá que passamos parte da manhã e onde almoçamos, percebendo a dinâmica do bairro.

Voltamos ao nosso hotel, e lá teremos o nosso transporte que nos levará à central de camionagem, para seguirmos a nossa rota até Kashan. Chegaremos por volta da hora do jantar.
Estadia: Hotel

Dia 13   Kashan

Em Kashan, mesmo às portas do deserto, caminhamos por entre as ruas onde abundam casas senhoriais do século XIX e onde podemos observar algumas portas com batentes muito particulares. Percorremos ainda o bazar, um dos mais cuidados do país, ponto de comércio há mais de 800 anos.

Depois do almoço, viajamos até uma das 3 aldeias mais bonitas do Irão: Abyaneh, onde as habitações em tom avermelhado contrastam com os estampados coloridos das roupas das mulheres. Por lá ficamos por umas horas, para depois regressarmos a Kashan para o jantar.

A noite é livre.
Estadia: Hotel

Dia 14   Kashan – Teerão

Neste dia, vamos sair bem cedo para percorrermos os mais importantes pontos turísticos da cidade e, possivelmente depois do almoço, uma carrinha levar-nos-á aos arredores, numa visita diferente de tudo o resto que vimos até agora no país.

Voltamos ao fim da tarde ao centro e preparamo-nos para uma viagem de regresso à capital do país. Chegaremos já de noite e depois de instalados, jantamos perto do hotel. O dia foi longo e o descanso chama-nos.

Estadia: Hotel

Dia 15   Teerão

Pela manhã, encaminhamo-nos para um dos mais bizarros locais de comércio de Teerão, que só acontece à sexta-feira. Por lá passamos a manhã, gastando os últimos tomans em artigos que podem ir de objetos em segunda mão, a roupas vindas da Ásia Central ou bijuteria feita à mão. Há de tudo, mesmo de tudo.

A tarde é por tua conta. Podes descansar, ir até Darband ou até ao Fórum dos Artistas.
Jantamos num local a combinar e, para os que têm o avião de madrugada, é hora de regressar ao hotel. Para os que ainda ficam para o dia seguinte, ainda há umas horas para aproveitar o ritmo da cidade.
Estadia: Hotel

Dia 16   Teerão – Origem

Este dia está reservado ao teu voo de regresso ao local de origem.

Normalmente os voos saem pela madrugada, pelo que chegarás a Portugal ainda neste dia. Resta-me despedir-me e agradecer a tua companhia.

Espero que tenhas terminado esta experiência tão apaixonado quanto eu pelo Irão.

Obrigado.

Esta viagem encontra-se esgotada.
Caso pretendas ficar em lista de espera para a mesma, entra por favor em contacto connosco.

Perguntas Frequentes

Como é o roteiro da viagem?

Tentamos concentrar nestes 16 dias de viagem um roteiro que passasse pelos locais que consideramos essenciais numa visita à Antiga Pérsia. Da urbe da capital, que reflete o modernismo de uma sociedade que aspira voltar aos tempos de glória, à visão mais conservadora de cidades como Kashan, ao mesmo tempo que descobrimos a sua história em Persépolis e nos encantamos com o silêncio do deserto. Na Landescape, não somos daquele tipo de líderes previsíveis e perceberás que muitas vezes nos adaptamos ao desejo do grupo e até ao momento. Visitamos tudo o que está descrito, não querendo dizer é que seja nos dias que no roteiro descrevemos, naquela ordem e, se ficar para trás alguma coisa, é porque houve algo melhor que o justificou! Para além disso gostamos de dar tempo para que cada um, se quiser, tenha tempo para si. Seja para um café, para visitar um mercado, passear pela cidade ou descansar. É uma viagem em grupo, mas é sobretudo a tua viagem. Vem de coração aberto e sem as formatações ocidentais porque vai ser desta forma que vais aproveitar melhor esta experiência.

É necessário visto para entrar no país?

Sim, é necessário. A lei obriga a um registo online, sendo que posteriormente nos é enviado um código que dará acesso à entrada no país. A Landescape, aquando da reserva da viagem, informará de todos os passos no seu Manual do Viajante. A Landescape pode efetuar este serviço, mediante a cobrança de uma taxa extra. Para mais informações, consulta as Perguntas Frequentes da agência disponíveis na secção Viajar com a Landescape ou envia-nos um e-mail para geral@landescape.pt.

Como funcionam os transfers de/para o aeroporto?

A maneira mais simples de chegar ao hotel é através de um táxi e à chegada ao aeroporto, vais perceber que existem mesmo muitos à espera de passageiros. A Landescape informar-te-á de todos os passos a dar, sendo que poderemos sempre enviar um transfer privado, mediante solicitação prévia por e-mail ou via grupo de WhatsApp criado para a viagem. O valor ronda os 10 euros, consoante o câmbio da moeda na altura (cerca de um milhão de riais). Os preços são por táxi e não por pessoa, daí que quem quiser dividir despesas pode fazê-lo.

Como são os alojamentos durante a viagem?

À exceção de Garmeh, no deserto, onde o alojamento será numa gesthouse tradicional, todas as restantes dormidas serão em hotéis equivalentes aos nossos 3 estrelas. Tal como na Europa, haverá uns melhores que outros, mas todos eles confortáveis e bastante centrais. Os quartos são twin com duas camas individuais e casa de banho privativa.

Como são os transportes no país?

A rede de transportes do Irão é bastante eficiente e portanto as deslocações internas serão feitas em transportes públicos. Teremos uma deslocação de avião no caso da viagem entre Teerão e Shiraz e usaremos um autocarro expresso para os restantes destinos. Dentro das cidades, será utilizado o táxi e, em Teerão, também o metro.

É seguro viajar no Irão?

Como depressa te irás aperceber, o Irão é um dos países mais seguros para se viajar. E não o é por ser um estado altamente policial ou securitário, é-o porque as pessoas são naturalmente hospitaleiras e acolhedoras, porque gostam de receber bem os estrangeiros. É algo que faz parte da cultura persa desde o alvor dos tempos. Vais sentir-te mais seguro do que em qualquer outro país no mundo, asseguramos-te.

É uma viagem cansativa?

Depende do conceito de cada um. É uma viagem em que se anda bastante a pé porque só assim acreditamos que se consegue conhecer os locais e as pessoas que os habitam. Algumas viagens de autocarro também são bastante longas, mas as paisagens por onde se passa compensam o tempo passado dentro do autocarro. À parte disso, é uma viagem calma, feita sobretudo de muita cultura e história.

Qual a roupa mais adequada?

Na Primavera e no Outono faz bastante calor durante o dia e à noite, por vezes, a temperatura baixa um pouco, embora raramente faça muito frio, daí que roupas leves e um casaco para alguma noite mais fria, seja aconselhável. É importante não esquecer que para as mulheres é obrigatório usar sempre um lenço na cabeça, uma túnica/casaco que cubra o rabo e uma camisola com mangas a 3 quartos. Não se pode entrar no país sem estar assim e as mulheres terão de usar sempre que estiverem na rua ou em locais públicos, apesar de haver cada vez mais excepções a esta regra. Já os homens não podem andar de calções, devendo usar sempre calças compridas. Ambos podem usar chinelos ou sandálias, sem qualquer restrição.Toda a informação acerca da roupa a levar na viagem segue no nosso Manual do Viajante que será entregue mal a pessoa interessada se inscreva na viagem.

Que comida será servida?

A alimentação no Irão é à base de carne de cabra, carneiro, vaca, galinha (só a galinha é mantida em produção intensiva) e embora mais raros, existem também vários tipos de peixe. Normalmente tudo isto é acompanhado com arroz. A alimentação vegetariana é mais limitada, mas existente em todos os locais. Há também opções mais familiares como pizzarias, fallafel e comida indiana em todas as cidades.

Esta viagem exige cuidados de saúde especiais?

A Landescape tem uma parceria estabelecida com duas médicas formadas em Medicina do Viajante que te podem melhor aconselhar sobre todos os cuidados de saúde necessários e eventuais vacinas de prevenção para viajar no Irão. Dessa forma, podes agendar uma Consulta do Viajante Online na data e hora que te for mais conveniente com uma delas.

Há alguma limitação no acesso a telecomunicações?

Muitas das comunicações no Irão, através da internet, estão limitadas. O Instagram, WhatsApp ou Telegram, funcionam na perfeição. O Facebook, YouTube, Blogspot, Vimeo, só para dar 4 exemplos, é quase certo que não funcionem. Contornar o obstáculo é fazer o download de um VPN no teu país de origem e usá-lo no Irão. Porém, não é 100℅ seguro que tenhas acesso.

Quanto ao dinheiro para a viagem?

O mais indicado é levar o dinheiro desde a origem (euros ou dólares) e ir trocando lá consoante a necessidade nas diversas casas de câmbio que existem em todas as cidades. Nunca trocar dinheiro fora do Irão é o nosso maior conselho, pois perde-se mesmo muito no câmbio. Tudo depende depois do que queres comprar. Lembra-te que os cartões de crédito e débito não funcionam no país, nem é possível fazer transferência para o país. A alimentação custará uma média de 15 euros por dia.

seguros-de-viagem-landescape

SEGURO DE VIAGEM LANDESCAPE

Descobre qual o seguro de viagem que melhor se adequa às tuas necessidades.

CONSULTA DO VIAJANTE

Agenda já a tua consulta para ficares a par dos cuidados de saúde recomendados e obrigatórios desta viagem.

Queres que entre em contacto contigo?

A nossa equipa irá acompanhar-te e dar-te todo o apoio necessário.

Sobre o Líder


Miguel Judas

Sou especialmente atraído pelas zonas menos conhecidas, onde há sempre algo de novo por revelar. Saber mais

Outros destinos que lidera

VIAGEM IRÃO – Teerão a Shiraz, explorando a antiga Pérsia

com Miguel Judas

Nova Data
22 Abr a 7 Mai 2023
Saber mais sobre esta edição Fechar informação desta edição

Se há país de que falamos com especial carinho, é do Irão. Aqui encontrarás as pessoas mais bondosas, hospitaleiras e genuínas do mundo. E se isso não bastasse, a antiga Pérsia ainda nos presenteia com inúmeras atrações históricas, como o Palácio Golestan, que podes conhecer numa visita a Teerão, uma capital frenética de 15 milhões de habitantes e a Praça Naqsh-e Jahan, a segunda maior do mundo, em Isfahan . Na artística cidade de Shiraz, terra de poetas, visitaremos a Mesquita Vakil e o imponente complexo de ruínas de Persépolis. Daí partiremos para sul, para junto Golfo Pérsico, para visitar as Ilhas de Qeshm e Ormuz, onde a herança portuguesa ainda está bem presente, nas diversas fortalezas destas exóticas ilhas, classificadas como Geopark da Unesco.

Segue a viagem até Yazd, outrora atravessada pela Rota da Seda e, segundo a lenda, a terra de onde partiram os três reis magos. De lá rumamos até à típica aldeia de Garmeh, situada num oásis, em pleno coração do deserto de Dash-e-Kavir, um dos maiores do mundo, que também iremos explorar.

Mas nesta viagem ao Irão, o líder de viagem Miguel Judas vai ainda levar-te a mais duas paragens apaixonantes. Isfahan, a Paris da Pérsia e capital cultural do Irão, uma cidade que mais parece um monumento à arquitetura a céu aberto. As opções são muitas, mas não deixes de fora a visita à Jameh Mosque, a maior do país, recentemente acrescentada à lista da Unesco. E finalmente Kashan, mesmo às portas do deserto, que convida a uma caminhada por entre as ruas onde abundam casas senhoriais do século XIX.

O que iremos visitar no Irão

  • Grande Bazar em Teerão
  • O Palácio Golestan
  • Mesquita Vakil em Shiraz
  • Tour em Persépolis
  • A fortaleza portuguesa da ilha de Ormuz
  • As maravilhas naturais da Ilha de Qeshm
  • Torres do Silêncio e Templo do Fogo, em Yazd
  • Tour no deserto em Garmeh
  • A ponte Khaju e os seus 33 arcos, em Isfahan
  • A Jameh Mosque, em Isfahan
  • Aldeia de Abyaneh
  • Casas senhoriais de Kashan

O que está incluído?

Alojamento
15 noites em hotel ou caravançarai

Refeições
Todos os pequenos-almoços
1 Almoço
2 Jantares

Todas as entradas e atividades descritas no programa
Tour em Persépolis (guia em inglês)
Tour do deserto

Todos os transportes descritos no programa
Exceto de carácter pessoal

Seguro Pessoal Básico de Viagem

Acompanhamento do líder da Landescape

O que não está incluído?

  • Voos internacionais
    Recomendamos a Geostar
  • Visto de entrada no país (cerca de 50€)
  • Serviço de visto iraniano (opção extra – 20€)
  • Atividades e visitas extra (se assinaladas no programa)
  • Guias locais (exceto Persépolis e Necrópoles)
  • Alimentação não especificada (cerca de 20€/dia)
  • Transfers de/para o aeroporto
  • Despesas pessoais e gorjetas
  • Upgrade Covid19 no Seguro Pessoal Básico de Viagem

Diário de Bordo

Dia 1   Chegada a Shiraz

Este dia está reservado à tua chegada a Shiraz, onde iremos iniciar a nossa jornada pela antiga Pérsia. Neste dia não está planeada nenhum tipo de atividade. Resta-te apanhar um transfer
do aeroporto para o hotel e descansar.
Estadia: Hotel

Dia 2   Shiraz

Bem-vindo ao coração da Pérsia.

Terra de poetas, outrora de um dos melhores vinhos do mundo e dos rouxinóis.
Deixaremos as coisas no hotel e, depois de almoçarmos, caminhamos para o centro histórico. O bazar Vakil é o primeiro postal da cidade, construído por Karim Khan, que tencionava tornar Shiraz no grande centro de comércio do Império. Num ápice será hora de parar para um chá ou então um gelado dentro de um sumo de cenoura ou Faloodeh, uma receita tão antiga como o Império Persa, que consiste em noodles gelados com sumo de limão e gelado. De chorar e pedir por mais, garanto.

A visita continua na cidadela de altos muros e torres de 14 metros e, mesmo ao lado, a Mesquita Vakil, uma das mais bonitas de toda a Pérsia. A noite reserva-nos um local muito especial, destino de peregrinação de milhares de iranianos.

Estadia: Hotel

Dia 3   Shiraz

O dia de hoje começa bem cedo, com uma viagem ao passado: Persépolis será o nosso destino, um complexo de ruínas imponente mandado construir por Darius “O Grande” em 518 a.C. e totalmente destruído por Alexandre, O Grande, sendo hoje um dos mais importantes monumentos classificados pela Unesco como Património Mundial da Humanidade.

Estadia: Hotel

Dia 4   Shiraz - Qeshm

Hoje pela manhã apanhamos um voo (mediante disponibilidade) que nos levará a Qeshm. Não faltam coisas para ver e fazer nesta exótica ilha do Golfo Pérsico, habitada pelo povo bandari, cujas tradições termos oportunidade de conhecer no alojamento local onde vamos pernoitar. Quando à ilha, iremos visitar alguns dos locais que lhe valeram a classificação de Geopark da Unesco, como o imenso mangal, o Vale das Estrelas ou o desfiladeiro de Chahkuh, não esquecendo, claro está, as paradisíacas praias.

Estadia: Alojamento local

Dia 5   Qeshm e Ormuz

O dia de hoje está reservado para a visita à vizinha ilha de Ormuz, outrora uma das mais importantes feitorias portuguesas nesta zona do mundo, como se constata pela imensa fortaleza. Mas Ormuz é muito mais do que história, como irás comprovar num tour por esta ilha de mil cores e rios de sal.

No final do dia, regressamos a Qeshm, onde pernoitamos.

Estadia: Alojamento local

Dia 6   Qeshm - Yazd

Aproveita parte da manhã, pois logo teremos de apanhar um barco até à vizinha cidade de Bandar Abbas e daí mais um comboio que nos levará o dia sobre carris, em direção a Yazd, uma das cidades mais antigas do mundo, onde chegamos de madrugada.

Estadia: Hotel tradicional

Dia 7   Yazd

Acordamos bem cedo na cidade que parece emergida do deserto e, após o pequeno-almoço, vamo-nos perder no centro histórico. De acordo com a Unesco, Yazd é considerada uma das cidades mais antigas do mundo e isso vê-se à medida que a percorremos, calmamente. Pela tarde, visitamos o Templo do Fogo e apanhamos um transporte até às Torres do Silêncio, espaço reservado aos zoroastrianos, a mais antiga religião monoteísta do mundo, que serviu de inspiração ao judaísmo, cristianismo e islamismo. É este o local ideal para ficarmos uns momentos, antes de regressarmos à cidade para espreitarmos o singular Club Zurkhaneh.

Estadia: Hotel tradicional

Dia 8   Yazd - Garmeh

A manhã é livre e podes explorar Yazd da maneira que entenderes. Pela hora do almoço, porém, é hora de nos reunirmos para sermos transportados até ao oásis de Garmeh. Chegaremos ao nosso alojamento ao fim da tarde e momentos depois, um jantar tradicional deverá estar à nossa espera.

Estadia: Alojamento local

Dia 9   Garmeh

São várias as opções por aqui, apesar do isolamento, e o dia é inteiramente livre.

Mal amanheça, toma um bom pequeno-almoço e, se desejares, podemos visitar as redondezas do Oásis. Depois disso, a sugestão é uma viagem deserto fora, pelas dunas, para apreciarmos um por do sol único. E por ali ficamos. Quem não quiser optar por esta atividade, pode ficar pela aldeia e aproveitar o silêncio para ler, passear ou simplesmente relaxar. Já de noite, regressamos cansados e o jantar chega. A noite prolonga-se com palavras e, quem sabe, alguma música. Lá fora, o silêncio.

Estadia: Alojamento local

Dia 10   Garmeh - Isfahan

Neste dia, parte da manhã pode ser aproveitada para caminhar um pouco pela aldeia, à tua vontade, ou então para um pequeno-almoço tardio. Aproveita para subir ao terraço da guesthouse e põe o diário de viagem em dia.

O nosso transporte parte por volta da hora do almoço e serão algumas longas horas até Isfahan. Já na cidade, teremos o prazer de jantar num dos restaurantes mais típicos. A noite apresenta-nos uma cidade surpreendente.

Estadia: Hotel

Dia 11   Isfahan

Existe um provérbio persa que diz “Esfahan nesf-e jahan” (Esfahan é metade do mundo) – e a verdade é que é um verdadeiro monumento à arquitetura a céu aberto. Mesquitas, palácios, jardins, pontes históricas, pessoas simpáticas. Vamos tirar o dia para desfrutarmos, sem pressas, do ritmo da cidade. Sugiro que dediquemos a manhã ao coração do bairro cristão da cidade. A Catedral Vank, em Nova Jolfa, é razão mais do que suficiente para uma longa caminhada ao longo do rio e uma visita a este bairro arménio a uns quarteirões do centro da cidade. É lá que passamos parte da manhã e onde almoçamos, percebendo a dinâmica do bairro.

Depois, caminharemos até à ponte Khaju e percorreremos o rio até à ponte dos 33 arcos, onde um chá nos convidará a sentar. E por ali ficamos, conversando com os locais, espreitando as bancas dos bazares para umas compras ou bebericando um café num espaço à nossa escolha.

Estadia: Hotel

Dia 12   Isfahan

Depois de uma noite de descanso, apanhamos um táxi para uma aproximação a mais de 800 anos de história na Jameh Mosque, a maior mesquita do Irão, recentemente acrescentada à lista da Unesco. No regresso, espreitamos o maior minarete da cidade, à medida que nos apercebemos do tamanho do imenso bazar de Isfahan.

Almoçamos, bebericamos um café e deliciamo-nos com uma visita aos edifícios da Praça Imam: a mesquita Masjed-e Imam, uma das mais bonitas do mundo, o palácio Ali Qapu, construído por Shah Abbas I e de cujo terraço tens uma vista magnífica da praça, além da sala de música, dos frescos e do teto em madeira trabalhada e, mesmo em frente, podemos ver já a mesquita Sheikh Lotfollah, diferente de todas as outras pela falta de minaretes. Não nos enganamos se dissermos que vamos passar o resto do dia nesta praça, contemplando a beleza de todos os edifícios. Não resistiremos de certeza a provar um doce tradicional numa das muitas casas da especialidade.

À noite, sentamo-nos na praça principal e desfrutamos da hospitalidade do povo iraniano.

Estadia: Hotel

Dia 13   Isfahan - Kashan

Partimos, depois de um reforçado pequeno-almoço, para Kashan. Pelo caminho, uma das 3 aldeias mais bonitas do Irão: Abyaneh, onde as habitações em tom avermelhado contrastam com os estampados coloridos das roupas das mulheres. Por lá deambulamos e por lá almoçamos, sem pressas, para depois partirmos para a cidade onde dormimos nesta noite, Kashan.

Mesmo às portas do deserto, caminhamos por entre as ruas onde abundam casas senhoriais do século XIX e onde podemos observar algumas portas com batentes muito particulares. Percorremos ainda o bazar, um dos mais cuidados do país, ponto de comércio há mais de 800 anos.

Estadia: Hotel tradicional

Dia 14   Kashan – Teerão

Pela manhã, visitamos um dos jardins persas mais bonitos e cuidados do país, para depois nos aventurarmos na estrada que nos leva à gigante capital do país. A viagem não é muito longa, pelo que chegaremos pela hora do almoço.

Teerão não parece, à primeira vista, uma cidade agradável, até começarmos a caminhar e a descobri-la. Mais do que tudo, esta viagem é feita de muitos quilómetros a pé, pois é a melhor maneira de nos cruzarmos com a vida iraniana. Só assim poderemos perceber como é a gigante capital iraniana. Vamos percorrer alguns dos highlights, mas fugimos também ao circuito normal, como o extravagante e inacreditável Palácio Golestan, que remonta ao século XVI e que foi, mais tarde, o complexo habitacional da dinastia Qajar, ou o Grande Bazar, local de encontro e das compras do dia-a-dia. Depois existem os parques verdes, tão essenciais na vida dos habitantes da capital e tão necessários para fugir da poluição.

Convido-te para acabares o dia comigo no Artists Park, onde jovens artistas iranianos têm possibilidade de mostrar a sua arte. Por lá jantamos, num dos meus restaurantes favoritos da cidade. No caminho, um dos ícones urbanos recentes mais emblemáticos da cidade – os murais da antiga embaixada norte-americana, o centro de “espionagem”.

Estadia: Hotel

Dia 15   Teerão

Pela manhã, encaminhamo-nos para um dos mais atrativos parques da cidade, local onde se encontram também algumas atrações, como o Museu da Guerra, um bazar que só acontece à sexta-feira e ótimo para os amantes de antiguidades e artesanato de autor ou a maior livraria para crianças do mundo, um espaço que são mais os adultos que adoram, tal é a dimensão.

À tarde, levo-te a atravessar a imponente Ponte Tabiat, uma passagem pedonal de 270 metros de comprimento, que liga dois dos mais importantes parques verdes de Teerão – o Taleghani Park e o Abo-Atash Park, onde ao final da tarde e início da noite se juntam verdadeiras multidões em animados piqueniques. Teerão na sua vida pura. Dali teremos também uma vista majestosa sobre a parte norte da cidade onde, se tivermos tempo, poderemos chegar de transportes públicos.

Estadia: Hotel

Dia 16   Teerão – Origem

Normalmente os voos saem pela madrugada, pelo que chegarão a Portugal ainda neste dia. Resta-me despedir-me e agradecer a tua companhia.

Espero que tenhas terminado esta experiência tão apaixonado quanto eu pelo Irão.

Obrigado.

Reserva aqui a tua viagem


1.570€

Perguntas Frequentes

Como é o roteiro da viagem?

Tentamos concentrar nestes 16 dias de viagem um roteiro que passasse pelos locais que consideramos essenciais numa visita à Antiga Pérsia. Da urbe da capital, que reflete o modernismo de uma sociedade que aspira voltar aos tempos de glória, à visão mais conservadora de cidades como Kashan, ao mesmo tempo que descobrimos a sua história em Persépolis e nos encantamos com o silêncio do deserto. Na Landescape, não somos daquele tipo de líderes previsíveis e perceberás que muitas vezes nos adaptamos ao desejo do grupo e até ao momento. Visitamos tudo o que está descrito, não querendo dizer é que seja nos dias que no roteiro descrevemos, naquela ordem e, se ficar para trás alguma coisa, é porque houve algo melhor que o justificou. Para além disso gostamos de dar tempo para que cada um, se quiser, tenha tempo para si. Seja para um café, para visitar um mercado, passear pela cidade ou descansar. É uma viagem em grupo, mas é sobretudo a tua viagem. Vem de coração aberto e sem as formatações ocidentais porque vai ser desta forma que vais aproveitar melhor esta experiência.

É necessário visto para entrar no país?

Sim, é necessário. A lei obriga a um registo online, sendo que posteriormente nos é enviado um código que dará acesso à entrada no país. A Landescape, aquando da reserva da viagem, informará de todos os passos no seu Manual do Viajante. A Landescape pode efetuar este serviço, mediante a cobrança de uma taxa extra. Para mais informações, consulta as Perguntas Frequentes da agência disponíveis na secção Viajar com a Landescape ou envia-nos um e-mail para geral@landescape.pt.

Como funcionam os transfers de/para o aeroporto?

A maneira mais simples de chegar ao hotel é através de um táxi e à chegada ao aeroporto, vais perceber que existem mesmo muitos à espera de passageiros. A Landescape informar-te-á de todos os passos a dar, sendo que poderemos sempre enviar um transfer privado, mediante solicitação prévia por e-mail ou via grupo de WhatsApp criado para a viagem. O valor ronda os 10 euros, consoante o câmbio da moeda na altura (cerca de um milhão de riais). Os preços são por táxi e não por pessoa, daí que quem quiser dividir despesas pode fazê-lo.

Como são os alojamentos durante a viagem?

À exceção de Garmeh e Qeshm, onde o alojamento será numa alojamento/gesthouse tradicional, todas as restantes dormidas serão em hotéis equivalentes aos nossos 3 estrelas. Tal como na Europa, haverá uns melhores que outros, mas todos eles confortáveis e bastante centrais. Os quartos são twin com duas camas individuais e casa de banho privativa.

Como são os transportes no país?

A rede de transportes do Irão é bastante eficiente e portanto as deslocações internas serão feitas em transportes públicos. Teremos também deslocações em avião, para voos internos e usaremos um autocarro expresso para os restantes destinos. O comboio será sempre uma alternativa a ponderar, caso decidamos alterar um pouco a deslocação na viagem e é, também ele, muito confortável. Dentro das cidades, será utilizado o táxi e, em Teerão, também o metro.

É seguro viajar no Irão?

Como depressa te irás aperceber, o Irão é um dos países mais seguros para se viajar. E não o é por ser um estado altamente policial ou securitário, é-o porque as pessoas são naturalmente hospitaleiras e acolhedoras, porque gostam de receber bem os estrangeiros. É algo que faz parte da cultura persa desde o alvor dos tempos. Vais sentir-te mais seguro do que em qualquer outro país no mundo, asseguramos-te.

É uma viagem cansativa?

Depende do conceito de cada um. É uma viagem em que se anda bastante a pé porque só assim acreditamos que se consegue conhecer os locais e as pessoas que os habitam. Algumas viagens de autocarro também são bastante longas, mas as paisagens por onde se passa compensam o tempo passado dentro do autocarro. À parte disso, é uma viagem calma, feita sobretudo de muita cultura e história.

Qual a roupa mais adequada?

Na Primavera e no Outono faz bastante calor durante o dia e à noite, por vezes, a temperatura baixa um pouco, embora raramente faça muito frio, daí que roupas leves e um casaco para alguma noite mais fria, seja aconselhável. É importante não esquecer que para as mulheres é obrigatório usar sempre um lenço na cabeça, uma túnica/casaco que cubra o rabo e uma camisola com mangas a 3 quartos. Não se pode entrar no país sem estar assim e as mulheres terão de usar sempre que estiverem na rua ou em locais públicos, apesar de haver cada vez mais exceções a esta regra. Já os homens não podem andar de calções, devendo usar sempre calças compridas. Ambos podem usar chinelos ou sandálias, sem qualquer restrição. Toda a informação acerca da roupa a levar na viagem segue no nosso Manual do Viajante que será entregue mal a pessoa interessada se inscreva na viagem.

Que comida será servida?

A alimentação no Irão é à base de carne de cabra, carneiro, vaca, galinha (só a galinha é mantida em produção intensiva) e embora mais raros, existem também vários tipos de peixe. Normalmente tudo isto é acompanhado com arroz. A alimentação vegetariana é mais limitada, mas existente em todos os locais. Há também opções mais familiares como pizzarias, fallafel e comida indiana em todas as cidades.

Esta viagem exige cuidados de saúde especiais?

A Landescape tem uma parceria estabelecida com duas médicas formadas em Medicina do Viajante que te podem melhor aconselhar sobre todos os cuidados de saúde necessários e eventuais vacinas de prevenção para viajar no Irão. Dessa forma, podes agendar uma Consulta do Viajante Online na data e hora que te for mais conveniente com uma delas.

Há alguma limitação no acesso a telecomunicações?

Muitas das comunicações no Irão, através da internet, estão limitadas. O Instagram, WhatsApp ou Telegram, funcionam na perfeição. O Facebook, YouTube, Blogspot, Vimeo, só para dar 4 exemplos, é quase certo que não funcionem. Contornar o obstáculo é fazer o download de um VPN no teu país de origem e usá-lo no Irão. Porém, não é 100℅ seguro que tenhas acesso.

Quanto ao dinheiro para a viagem?

O mais indicado é levar o dinheiro desde a origem (euros ou dólares) e ir trocando lá consoante a necessidade nas diversas casas de câmbio que existem em todas as cidades. Nunca trocar dinheiro fora do Irão é o nosso maior conselho, pois perde-se mesmo muito no câmbio. Tudo depende depois do que queres comprar. Lembra-te que os cartões de crédito e débito não funcionam no país, nem é possível fazer transferência para o país. A alimentação custará uma média de 20 euros por dia.

seguros-de-viagem-landescape

SEGURO DE VIAGEM LANDESCAPE

Descobre qual o seguro de viagem que melhor se adequa às tuas necessidades.

consulta-do-viajante-landescape

CONSULTA DO VIAJANTE

Agenda já a tua consulta para ficares a par dos cuidados de saúde recomendados e obrigatórios desta viagem.

Queres que entre em contacto contigo?

A nossa equipa irá acompanhar-te e dar-te todo o apoio necessário.

Sobre o Líder


Miguel Judas

Sou especialmente atraído pelas zonas menos conhecidas, onde há sempre algo de novo por revelar. Saber mais

Outros destinos que lidera

VIAGEM IRÃO – Teerão a Shiraz, explorando a antiga Pérsia

com Miguel Judas

Nova Data
14 a 29 Out 2023
Saber mais sobre esta edição Fechar informação desta edição

Se há país de que falamos com especial carinho, é do Irão. Aqui encontrarás as pessoas mais bondosas, hospitaleiras e genuínas do mundo. E se isso não bastasse, a antiga Pérsia ainda nos presenteia com inúmeras atrações históricas, como o Palácio Golestan, que podes conhecer numa visita a Teerão, uma capital frenética de 15 milhões de habitantes e a Praça Naqsh-e Jahan, a segunda maior do mundo, em Isfahan . Na artística cidade de Shiraz, terra de poetas, visitaremos a Mesquita Vakil e o imponente complexo de ruínas de Persépolis. Daí partimos para sul, para junto do Golfo Pérsico, para visitar as Ilhas de Qeshm e Ormuz, onde a herança portuguesa ainda está bem presente, nas diversas fortalezas destas exóticas ilhas, classificadas como Geopark da Unesco.

Segue a viagem até Yazd, outrora atravessada pela Rota da Seda e, segundo a lenda, a terra de onde partiram os três reis magos. De lá rumamos até à típica aldeia de Garmeh, situada num oásis, em pleno coração do deserto de Dash-e-Kavir, um dos maiores do mundo, que também iremos explorar.

Mas nesta viagem ao Irão, o líder de viagem Miguel Judas vai ainda levar-te a mais duas paragens apaixonantes. Isfahan, a Paris da Pérsia e capital cultural do Irão, uma cidade que mais parece um monumento à arquitetura a céu aberto. As opções aqui são muitas, mas não deixes de fora a visita à Jameh Mosque, a maior do país, recentemente acrescentada à lista da Unesco. E finalmente Kashan, mesmo às portas do deserto, que convida a uma caminhada por entre as ruas onde abundam casas senhoriais do século XIX.

O que iremos visitar no Irão

  • Grande Bazar em Teerão
  • O Palácio Golestan
  • Mesquita Vakil em Shiraz
  • Tour em Persépolis
  • A fortaleza portuguesa da ilha de Ormuz
  • As maravilhas naturais da Ilha de Qeshm
  • Torres do Silêncio e Templo do Fogo, em Yazd
  • Tour no deserto em Garmeh
  • A ponte Khaju e os seus 33 arcos, em Isfahan
  • A Jameh Mosque, em Isfahan
  • Aldeia de Abyaneh
  • Casas senhoriais de Kashan

O que está incluído?

Alojamento
15 noites em hotel ou caravançarai

Refeições
Todos os pequenos-almoços
1 Almoço
2 Jantares

Todas as entradas e atividades descritas no programa
Tour em Persépolis (guia inglês)
Tour do deserto

Todos os transportes descritos no programa
Exceto de carácter pessoal

Seguro Pessoal Básico de Viagem

Acompanhamento do líder da Landescape

O que não está incluído?

  • Voos internacionais
    Recomendamos a Geostar
  • Visto de entrada no país (cerca de 50€)
  • Serviço de visto iraniano (opção extra – 20€)
  • Atividades e visitas extra (se assinaladas no programa)
  • Guias locais (exceto Persépolis e Necrópoles)
  • Alimentação não especificada (cerca de 20€/dia)
  • Transfers de/para o aeroporto
  • Despesas pessoais e gorjetas
  • Upgrade Covid19 no Seguro Pessoal Básico de Viagem

Diário de Bordo

Dia 1   Chegada a Shiraz

Este dia está reservado à tua chegada a Shiraz, onde iremos iniciar a nossa jornada pela antiga Pérsia. Neste dia não está planeada nenhum tipo de atividade. Resta-te apanhar um transfer
do aeroporto para o hotel e descansar.
Estadia: Hotel

Dia 2   Shiraz

Bem-vindos ao coração da Pérsia.

Terra de poetas, outrora de um dos melhores vinhos do mundo e dos rouxinóis.
Deixaremos as coisas no hotel e, depois de almoçarmos, caminhamos para o centro histórico. O bazar Vakil é o primeiro postal da cidade, construído por Karim Khan, que tencionava tornar Shiraz no grande centro de comércio do Império. Num ápice será hora de parar para um chá ou então um gelado dentro de um sumo de cenoura ou Faloodeh, uma receita tão antiga como o Império Persa, que consiste em noodles gelados com sumo de limão e gelado. De chorar e pedir por mais, garanto.

A visita continua na cidadela de altos muros e torres de 14 metros e, mesmo ao lado, a Mesquita Vakil, uma das mais bonitas de toda a Pérsia. A noite reserva-nos um local muito especial, destino de peregrinação de milhares de iranianos.

Estadia: Hotel

Dia 3   Shiraz

O dia de hoje começa bem cedo, com uma viagem ao passado: Persépolis será o nosso
destino, um complexo de ruínas imponente mandado construir por Darius “O Grande”, em 518 a.C. e totalmente destruído por Alexandre, O Grande, sendo hoje um dos mais importantes monumentos classificados pela Unesco como Património Mundial da Humanidade.

Estadia: Hotel

Dia 4   Shiraz - Qeshm

Hoje pela manhã apanhamos um voo (mediante disponibilidade) que nos levará a Qeshm. Não faltam coisas para ver e fazer nesta exótica ilha do Golfo Pérsico, habitada pelo povo bandari, cujas tradições termos oportunidade de conhecer no alojamento local onde vamos pernoitar. Quando à ilha, iremos visitar alguns dos locais que lhe valeram a classificação de Geopark da Unesco, como o imenso mangal, o Vale das Estrelas ou o desfiladeiro de Chahkuh, não esquecendo, claro está, as paradisíacas praias.

Estadia: Alojamento local

Dia 5   Qeshm e Ormuz

O dia de hoje está reservado para a visita a vizinha ilha de Ormuz, outrora uma das mais importantes feitorias portuguesas nesta zona do mundo, como se constata pela imensa fortaleza. Mas Ormuz é muito mais do que história, como irás comprovar num tour por esta ilha de mil cores e rios de sal.

No final do dia, regressamos a Qeshm, onde pernoitamos.

Estadia: Alojamento local

Dia 6   Qeshm - Yazd

Aproveita parte da manhã, pois logo teremos de apanhar um barco até à vizinha cidade de Bandar Abbas e daí mais um comboio que nos levará o dia sobre carris, em direção a Yazd, uma das cidades mais antigas do mundo, onde chegamos de madrugada.

Estadia: Hotel tradicional

Dia 7   Yazd

Acordamos bem cedo na cidade que parece emergida do deserto e, após o pequeno-almoço, vamo-nos perder no centro histórico. De acordo com a Unesco, Yazd é considerada uma das cidades mais antigas do mundo e isso vê-se à medida que a percorremos, calmamente. Pela tarde, visitamos o Templo do Fogo e apanhamos um transporte até às Torres do Silêncio, espaço reservado aos zoroastrianos, a mais antiga religião monoteísta do mundo, que serviu de inspiração ao judaísmo, cristianismo e islamismo. É este o local ideal para ficarmos uns momentos, antes de regressarmos à cidade para espreitarmos o singular Club Zurkhaneh.

Estadia: Hotel tradicional

Dia 8   Yazd - Garmeh

A manhã é livre e podes explorar Yazd da maneira que entenderes. Pela hora do almoço, porém, é hora de nos reunirmos para sermos transportados até ao oásis de Garmeh. Chegaremos ao nosso alojamento ao fim da tarde e momentos depois, um jantar tradicional deverá estar à nossa espera.

Estadia: Alojamento local

Dia 9   Garmeh

São várias as opções por aqui, apesar do isolamento, e o dia é inteiramente livre.

Mal amanheça, toma um bom pequeno-almoço e, se desejares, podemos visitar as redondezas do Oásis. Depois disso, a sugestão é uma viagem deserto fora, pelas dunas, para apreciarmos um por do sol único. E por ali ficamos. Quem não quiser optar por esta atividade, pode ficar pela aldeia e aproveitar o silêncio para ler, passear ou simplesmente relaxar. Já de noite, regressamos cansados e o jantar chega. A noite prolonga-se com palavras e, quem sabe, alguma música. Lá fora, o silêncio.

Estadia: Alojamento local

Dia 10   Garmeh - Isfahan

Neste dia, parte da manhã pode ser aproveitada para caminhar um pouco pela aldeia, à tua vontade, ou então para um pequeno-almoço tardio. Aproveita para subir ao terraço da guesthouse e põe o diário de viagem em dia.

O nosso transporte parte por volta da hora do almoço e serão algumas longas horas até Isfahan. Já na cidade, teremos o prazer de jantar num dos restaurantes mais típicos. A noite apresenta-nos uma cidade surpreendente.

Estadia: Hotel

Dia 11   Isfahan

Existe um provérbio persa que diz “Esfahan nesf-e jahan” (Esfahan é metade do mundo) – e a verdade é que é um verdadeiro monumento à arquitetura a céu aberto. Mesquitas, palácios, jardins, pontes históricas, pessoas simpáticas. Vamos tirar o dia para desfrutarmos, sem pressas, do ritmo da cidade. Sugiro que dediquemos a manhã ao coração do bairro cristão da cidade. A Catedral Vank, em Nova Jolfa, é razão mais do que suficiente para uma longa caminhada ao longo do rio e uma visita a este bairro arménio a uns quarteirões do centro da cidade. É lá que passamos parte da manhã e onde almoçamos, percebendo a dinâmica do bairro.

Depois, caminharemos até à ponte Khaju e percorreremos o rio até à ponte dos 33 arcos, onde um chá nos convidará a sentar. E por ali ficamos, conversando com os locais, espreitando as bancas dos bazares para umas compras ou bebericando um café num espaço à nossa escolha.

Estadia: Hotel

Dia 12   Isfahan

Depois de uma noite de descanso, apanhamos um táxi para uma aproximação a mais de 800 anos de história na Jameh Mosque, a maior mesquita do Irão, recentemente acrescentada à lista da Unesco. No regresso, espreitamos o maior minarete da cidade, à medida que nos apercebemos do tamanho do imenso bazar de Isfahan.

Almoçamos, bebericamos um café e deliciamo-nos com uma visita aos edifícios da Praça Imam: a mesquita Masjed-e Imam, uma das mais bonitas do mundo, o palácio Ali Qapu, construído por Shah Abbas I e de cujo terraço tens uma vista magnífica da praça, além da sala de música, dos frescos e do teto em madeira trabalhada e, mesmo em frente, podemos ver já a mesquita Sheikh Lotfollah, diferente de todas as outras pela falta de minaretes. Não nos enganamos se dissermos que vamos passar o resto do dia nesta praça, contemplando a beleza de todos os edifícios. Não resistiremos de certeza a provar um doce tradicional numa das muitas casas da especialidade.

À noite, sentamo-nos na praça principal e desfrutamos da hospitalidade do povo
iraniano.

Estadia: Hotel

Dia 13   Isfahan - Kashan

Partimos, depois de um reforçado pequeno-almoço, para Kashan. Pelo caminho, uma das 3 aldeias mais bonitas do Irão: Abyaneh, onde as habitações em tom avermelhado contrastam com os estampados coloridos das roupas das mulheres. Por lá deambulamos e por lá almoçamos, sem pressas, para depois partirmos para a cidade onde dormimos nesta noite, Kashan.

Mesmo às portas do deserto, caminhamos por entre as ruas onde abundam casas senhoriais do século XIX e onde podemos observar algumas portas com batentes muito particulares. Percorremos ainda o bazar, um dos mais cuidados do país, ponto de comércio há mais de 800 anos.

Estadia: Hotel tradicional

Dia 14   Kashan – Teerão

Pela manhã, visitamos um dos jardins persas mais bonitos e cuidados do país, para depois nos aventurarmos na estrada que nos leva à gigante capital do país. A viagem não é muito longa, pelo que chegaremos pela hora do almoço.

Teerão não parece, à primeira vista, uma cidade agradável, até começarmos a caminhar e a descobri-la. Mais do que tudo, esta viagem é feita de muitos quilómetros a pé, pois é a melhor maneira de nos cruzarmos com a vida iraniana. Só assim poderemos perceber como é a gigante capital iraniana. Vamos percorrer alguns dos highlights, mas fugimos também ao circuito normal, como o extravagante e inacreditável Palácio Golestan, que remonta ao século XVI e que foi, mais tarde, o complexo habitacional da dinastia Qajar, ou o Grande Bazar, local de encontro e das compras do dia-a-dia. Depois existem os parques verdes, tão essenciais na vida dos habitantes da capital e tão necessários para fugir da poluição.

Convido-te para acabares o dia comigo no Artists Park, onde jovens artistas iranianos têm possibilidade de mostrar a sua arte. Por lá jantamos, num dos meus restaurantes favoritos da cidade. No caminho, um dos ícones urbanos recentes mais emblemáticos da cidade – os murais da antiga embaixada norte-americana, o centro de “espionagem”.

Estadia: Hotel

Dia 15   Teerão

Pela manhã, encaminhamo-nos para um dos mais atrativos parques da cidade, local onde se encontram também algumas atrações, como o Museu da Guerra, um bazar que só acontece à sexta-feira e ótimo para os amantes de antiguidades e artesanato de autor ou a maior livraria para crianças do mundo, um espaço que são mais os adultos que adoram, tal é a dimensão.

À tarde, levo-te a atravessar a imponente Ponte Tabiat, uma passagem pedonal de 270 metros de comprimento, que liga dois dos mais importantes parques verdes de Teerão – o Taleghani Park e o Abo-Atash Park, onde ao final da tarde e início da noite se juntam verdadeiras multidões em animados piqueniques. Teerão na sua vida pura. Dali teremos também uma vista majestosa sobre a parte norte da cidade onde, se tivermos tempo, poderemos chegar de transportes públicos.

Estadia: Hotel

Dia 16   Teerão – Origem

Normalmente os voos saem pela madrugada, pelo que chegarás a Portugal ainda neste dia. Resta-me despedir-me e agradecer a tua companhia.

Espero que tenhas terminado esta experiência tão apaixonado quanto eu pelo Irão.

Obrigado.

Reserva aqui a tua viagem


1.570€

Perguntas Frequentes

Como é o roteiro da viagem?

Tentamos concentrar nestes 16 dias de viagem um roteiro que passasse pelos locais que consideramos essenciais numa visita à Antiga Pérsia. Da urbe da capital, que reflete o modernismo de uma sociedade que aspira voltar aos tempos de glória, à visão mais conservadora de cidades como Kashan, ao mesmo tempo que descobrimos a sua história em Persépolis e nos encantamos com o silêncio do deserto. Na Landescape, não somos daquele tipo de líderes previsíveis e perceberás que muitas vezes nos adaptamos ao desejo do grupo e até ao momento. Visitamos tudo o que está descrito, não querendo dizer é que seja nos dias que no roteiro descrevemos, naquela ordem e, se ficar para trás alguma coisa, é porque houve algo melhor que o justificou. Para além disso gostamos de dar tempo para que cada um, se quiser, tenha tempo para si. Seja para um café, para visitar um mercado, passear pela cidade ou descansar. É uma viagem em grupo, mas é sobretudo a tua viagem. Vem de coração aberto e sem as formatações ocidentais porque vai ser desta forma que vais aproveitar melhor esta experiência.

É necessário visto para entrar no país?

Sim, é necessário. A lei obriga a um registo online, sendo que posteriormente nos é enviado um código que dará acesso à entrada no país. A Landescape, aquando da reserva da viagem, informará de todos os passos no seu Manual do Viajante. A Landescape pode efetuar este serviço, mediante a cobrança de uma taxa extra. Para mais informações, consulta as Perguntas Frequentes da agência disponíveis na secção Viajar com a Landescape ou envia-nos um e-mail para geral@landescape.pt.

Como funcionam os transfers de/para o aeroporto?

A maneira mais simples de chegar ao hotel é através de um táxi e à chegada ao aeroporto, vais perceber que existem mesmo muitos à espera de passageiros. A Landescape informar-te-á de todos os passos a dar, sendo que poderemos sempre enviar um transfer privado, mediante solicitação prévia por e-mail ou via grupo de WhatsApp criado para a viagem. O valor ronda os 10 euros, consoante o câmbio da moeda na altura (cerca de um milhão de riais). Os preços são por táxi e não por pessoa, daí que quem quiser dividir despesas pode fazê-lo.

Como são os alojamentos durante a viagem?

À exceção de Garmeh e Qeshm, onde o alojamento será numa alojamento/gesthouse tradicional, todas as restantes dormidas serão em hotéis equivalentes aos nossos 3 estrelas. Tal como na Europa, haverá uns melhores que outros, mas todos eles confortáveis e bastante centrais. Os quartos são twin com duas camas individuais e casa de banho privativa.

Como são os transportes no país?

A rede de transportes do Irão é bastante eficiente e portanto as deslocações internas serão feitas em transportes públicos. Teremos também deslocações em avião, para voos internos e usaremos um autocarro expresso para os restantes destinos. O comboio será sempre uma alternativa a ponderar, caso decidamos alterar um pouco a deslocação na viagem e é, também ele, muito confortável. Dentro das cidades, será utilizado o táxi e, em Teerão, também o metro.

É seguro viajar no Irão?

Como depressa te irás aperceber, o Irão é um dos países mais seguros para se viajar. E não o é por ser um estado altamente policial ou securitário, é-o porque as pessoas são naturalmente hospitaleiras e acolhedoras, porque gostam de receber bem os estrangeiros. É algo que faz parte da cultura persa desde o alvor dos tempos. Vais sentir-te mais seguro do que em qualquer outro país no mundo, asseguramos-te.

É uma viagem cansativa?

Depende do conceito de cada um. É uma viagem em que se anda bastante a pé porque só assim acreditamos que se consegue conhecer os locais e as pessoas que os habitam. Algumas viagens de autocarro também são bastante longas, mas as paisagens por onde se passa compensam o tempo passado dentro do autocarro. À parte disso, é uma viagem calma, feita sobretudo de muita cultura e história.

Qual a roupa mais adequada?

Na Primavera e no Outono faz bastante calor durante o dia e à noite, por vezes, a temperatura baixa um pouco, embora raramente faça muito frio, daí que roupas leves e um casaco para alguma noite mais fria, seja aconselhável. É importante não esquecer que para as mulheres é obrigatório usar sempre um lenço na cabeça, uma túnica/casaco que cubra o rabo e uma camisola com mangas a 3 quartos. Não se pode entrar no país sem estar assim e as mulheres terão de usar sempre que estiverem na rua ou em locais públicos, apesar de haver cada vez mais exceções a esta regra. Já os homens não podem andar de calções, devendo usar sempre calças compridas. Ambos podem usar chinelos ou sandálias, sem qualquer restrição. Toda a informação acerca da roupa a levar na viagem segue no nosso Manual do Viajante que será entregue mal a pessoa interessada se inscreva na viagem.

Que comida será servida?

A alimentação no Irão é à base de carne de cabra, carneiro, vaca, galinha (só a galinha é mantida em produção intensiva) e embora mais raros, existem também vários tipos de peixe. Normalmente tudo isto é acompanhado com arroz. A alimentação vegetariana é mais limitada, mas existente em todos os locais. Há também opções mais familiares como pizzarias, fallafel e comida indiana em todas as cidades.

Esta viagem exige cuidados de saúde especiais?

A Landescape tem uma parceria estabelecida com duas médicas formadas em Medicina do Viajante que te podem melhor aconselhar sobre todos os cuidados de saúde necessários e eventuais vacinas de prevenção para viajar no Irão. Dessa forma, podes agendar uma Consulta do Viajante Online na data e hora que te for mais conveniente com uma delas.

Há alguma limitação no acesso a telecomunicações?

Muitas das comunicações no Irão, através da internet, estão limitadas. O Instagram, WhatsApp ou Telegram, funcionam na perfeição. O Facebook, YouTube, Blogspot, Vimeo, só para dar 4 exemplos, é quase certo que não funcionem. Contornar o obstáculo é fazer o download de um VPN no teu país de origem e usá-lo no Irão. Porém, não é 100℅ seguro que tenhas acesso.

Quanto ao dinheiro para a viagem?

O mais indicado é levar o dinheiro desde a origem (euros ou dólares) e ir trocando lá consoante a necessidade nas diversas casas de câmbio que existem em todas as cidades. Nunca trocar dinheiro fora do Irão é o nosso maior conselho, pois perde-se mesmo muito no câmbio. Tudo depende depois do que queres comprar. Lembra-te que os cartões de crédito e débito não funcionam no país, nem é possível fazer transferência para o país. A alimentação custará uma média de 20 euros por dia.

seguros-de-viagem-landescape

SEGURO DE VIAGEM LANDESCAPE

Descobre qual o seguro de viagem que melhor se adequa às tuas necessidades.

consulta-do-viajante-landescape

CONSULTA DO VIAJANTE

Agenda já a tua consulta para ficares a par dos cuidados de saúde recomendados e obrigatórios desta viagem.

Queres que entre em contacto contigo?

A nossa equipa irá acompanhar-te e dar-te todo o apoio necessário.

Sobre o Líder


Miguel Judas

Sou especialmente atraído pelas zonas menos conhecidas, onde há sempre algo de novo por revelar. Saber mais

Outros destinos que lidera

Testemunhos

Este site utiliza cookies, ao continuares estás a permitir a sua utilização. Quero saber mais Ok